Notícia

Viaduto de Camburi ganha grafite em homenagem à menina Araceli

Além de arte pintada em viaduto, também está sendo criado um jardim na Capital

O mural no viaduto tem cerca de 1.400 metros quadrados
O mural no viaduto tem cerca de 1.400 metros quadrados
Foto: Ricardo Medeiros

O caso Araceli completou 44 anos no último dia 18. Como forma de não deixar a população esquecer o assassinato da menina, que foi morta aos 8 anos em Vitória, está sendo criando um memorial em homenagem a ela, que inclui uma arte em grafite no viaduto da Vale e um jardim. O local que está recebendo a pintura fica no final da Avenida Dante Michelini, nome de um dos acusados de envolvimento na morte da criança, em 1973.

O secretário de Gestão, Planejamento e Comunicação da Prefeitura de Vitória, Fabrício Gandini, afirma que a avenida leva o nome do avô de um dos suspeitos de cometer o crime.

“O suspeito de cometer o crime foi o neto da pessoa que tem o nome da avenida, não foi a mesma pessoa. As pessoas têm feito questionamentos para mudar o nome da avenida, mas para mudar esse nome é preciso a aprovação de 60% dos moradores da via. De qualquer forma, o memorial ser ali é importante para que as pessoas passem a discutir essa situação”, avalia.

Gandini conta que a iniciativa de criar o memorial partiu de discussões no Fórum Municipal Araceli e envolve as secretarias de Direitos Humanos; Gestão, Planejamento e Comunicação e Meio Ambiente e Serviços.

“Vitória não tinha nada físico que remetesse a esse caso. A partir do momento que o memorial for grafitado, as pessoas que passarem por ali terão curiosidade de saber sobre essa história”, pontua.

Grafiteiros trabalham na arte em memória de Araceli
Grafiteiros trabalham na arte em memória de Araceli
Foto: Ricardo Medeiros

O mural tem cerca de 1.400 metros quadrados e sete grafiteiros estão empenhados, de forma voluntária, no serviço. Um deles é o estudante Nicholas Duarte, 23, que confessa que quando recebeu o convite não conhecia a história de Araceli.

Segundo ele, além de Araceli a pequena Fabiane Isadora Claudino, 2, também será homenageada. A menina foi violentada sexualmente e morta pelo padrasto na última quinta-feira, dia 18. Coincidentemente data da morte de Araceli.

Leia também

- Que fim levou o caso Araceli, um dos mais emblemáticos do Brasil?

“Buscamos inspiração em quadrinhos. No centro do mural será grafitado o rosto da Araceli, e em torno dele, vamos retratar brincadeiras infantis e também faremos um desenho da Fabiane. Também terá uma imagem da Araceli quando bebê e outra dela aos oito anos, regando uma flor”, disse.

O trabalho teve início na última segunda-feira e deve ser concluído no próximo dia 4. Foram investidos cerca de R$ 6 mil.

Caso foi arquivado pela Justiça

Araceli foi morta aos 8 anos. Crime bárbaro completou 44 anos no último dia 18
Araceli foi morta aos 8 anos. Crime bárbaro completou 44 anos no último dia 18
Foto: Reprodução

O assassinato de Araceli Cabrera Crespo completou 44 anos. A forma como a menina de oito anos desapareceu continua um mistério. Polícia, suspeitos e familiares se depararam com diversas versões do crime, que permanece sem nenhuma solução. O processo, depois do julgamento e absolvição dos acusados, foi arquivado pela Justiça.

Araceli foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada. O corpo, desfigurado e em avançado estado de decomposição, foi encontrado próximo a uma mata, em Vitória, dias depois de desaparecer.

Em memória à menina o dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. (Com informações de Viviane Machado)

Ver comentários