Notícia

Ex-deputado é preso por tentar matar a esposa em Cariacica

Na época policial militar e exercendo mandado na Assembleia Legislativa, Elson atirou contra a esposa em uma rua do bairro Bela Aurora, Cariacica

Foto: Facebook

O ex-deputado estadual e policial civil Elson de Oliveira Batista, conhecido como "Cabo Elson", foi preso nesta quinta-feira (10) por ordem da Justiça. Ele tinha uma mandado de prisão em aberto desde a última sexta-feira (4) por tentar matar a esposa. O crime aconteceu em 2006.

Na época policial militar e exercendo mandado na Assembleia Legislativa, Elson atirou contra a esposa em uma rua do bairro Bela Aurora, Cariacica. O crime aconteceu no dia  28 de outubro de 2006, por volta das 20h30. A vítima conseguiu correr e não foi atingida.

Ele foi julgado em 11 de fevereiro de 2015 e condenado a cinco anos e quatro meses de prisão em regime semiaberto, em que o detento dorme na cadeia, mas pode sair para trabalhar durante o dia. No entanto, o trânsito em julgado só aconteceu em maio deste ano. Até esta quinta-feira, portanto, ele ainda não havia começado a cumprir a pena.

Leia também

A defesa do cabo Elson foi feita pelo advogado Ademir José da Silva, da equipe jurídica do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol). Segundo ele, a defesa prepara uma ação revisional para que a sentença dada ao policial seja revista. "Estamos preparando um recurso e acreditamos na reversão dessa decisão", afirmou. 

O CRIME

Na época atuando como deputado, Elson efetuou três disparos contra a esposa durante uma briga. Ele estava em um Astra, pertencente à Assembleia Legislativa. Nenhum tiro acertou a vítima, mas ela registrou uma ocorrência contra o marido no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Cariacica, em Campo Grande.

Em depoimento à Polícia Civil, ela relatou que trabalhava em uma locadora de vídeo. No dia do crime, cabo Elson telefonou para a locadora perguntando a que horas a mulher iria para casa. A esposa respondeu que não poderia ser naquele instante, pois ainda havia clientes na loja. Diante da resposta, o deputado desligou o telefone, foi à locadora, muito nervoso, e ordenou que a mulher entrasse no carro. Diante da recusa da mulher, ele a puxou pelos cabelos e ela começou a gritar.

O deputado a ameaçou, dizendo que ela iria se arrepender. Em seguida, saiu com o veículo, foi em casa, pegou um revólver calibre 38 e retornou à locadora. Percebendo que o marido estava armado, Ana correu até um orelhão, localizado em frente a um supermercado, para chamar a polícia.

Vendo que ele iria atirar, a mulher correu em ziguezague. Ele efetuou, então, três tiros na direção dela, mas a mulher conseguiu escapar. A vítima correu pela rua e se escondeu em um beco. Lá, conseguiu chamar um táxi e seguiu atéo DPJ de Cariacica, onde registrou um boletim de ocorrência contra o marido.

Ver comentários