Notícia

Após crime contra médica, colegas fazem ato contra insegurança no Hucam

O protesto foi marcado após a médica Milena Gottardi Tonini Frasson ter sido baleada na cabeça na noite desta quinta-feira (14)

Manifestantes protestaram contra a insegurança em frente ao Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam), em Maruípe, Vitória, na manhã desta sexta-feira (15). O protesto foi marcado após a médica Milena Gottardi Tonini Frasson ter sido baleada com três tiros na cabeça dentro do estacionamento da instituição.

A fisioterapeuta Michelle Maia, de 42 anos, informou que a insegurança é um problema constante no hospital. Segundo ela, uma equipe da fisioterapia sai do local por volta de 1 hora da madrugada e não conta com policiamento na região.

"Nós estamos estarrecidos com o que aconteceu com a colega. Eu vim falar em nome da equipe de Fisioterapia porque foi solicitado pelo nosso conselho cumprir uma carga horária de 18 horas, e a equipe intensivista vai embora 1h da manhã. Realmente é desumano. Já protocolamos para tentar mudar essa situação e ainda não conseguimos reverter", disse a fisioterapeuta.

O enfermeiro Manoel Ferreira, 54, relatou que, no fim do ano passado, foi agredido por um bandido em uma tentativa de assalto no Hucam.

"Era umas 10 horas da manhã quando um cidadão tentou me assaltar. Busquei todos os meios de socorro e atendimento e a segurança do hospital não fez nada. Fui socorrido pela Polícia Militar. A direção tem conhecimento desse problema e nada foi feito. Os crimes acontecem a qualquer hora do dia", lamentou.

Ainda de acordo com Manoel, aumentou o fluxo de profissionais e pacientes no hospital e a segurança não acompanhou esse aumento.

"Nós saímos das nossas casas pela manhã, seguimos para nosso trabalho que tem como objetivo cuidar do nosso semelhante. Mas, infelizmente, não sabemos se vamos chegar, trabalhar e ir embora. É uma sensação de desproteção, descaso", comentou.

VEJA VÍDEO

Protesto contra insegurança no HUCAM por GazetaOnline

O CRIME

Milena foi baleada na cabeça dentro do estacionamento do Hucam, por volta das 19 horas desta quinta, quando saía de um plantão. Ela estava acompanhada de uma colega de trabalho, também médica, e seguia para o carro — um Onix prata, quando um bandido desceu de uma moto e apontou a arma.

A amiga de Milena contou que o bandido aparentava estar confuso. Ao mesmo tempo que pedia que elas entregassem chaves, celulares e bolsas, mandava que as duas entrassem no carro. As duas obedeceram as ordens, mas mesmo assim o criminoso atirou várias vezes. Ela conseguiu se abaixar por trás do carro, mas Milena acabou atingida no rosto pelos disparos. Após os tiros, o criminoso fugiu.

Médicos do Hucam socorreram Milena e, posteriormente, ela foi transferida em estado grave para o Cias.

De acordo com o hospital onde Milena está internada, ela foi submetida a uma cirurgia de urgência pela equipe de neurocirurgia da Unimed e está na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O estado de saúde dela é de "extrema gravidade".

 

Ver comentários