Notícia

'Tem que perguntar a Jesus', diz secretário exonerado a jornalista

Prefeito de Aracruz retirou secretário do cargo após fala polêmica em sessão na Câmara

Ivan Pestana durante sessão especial na Câmara de Aracruz
Ivan Pestana durante sessão especial na Câmara de Aracruz
Foto: Reprodução

Exonerado do cargo de secretário de Saúde nesta sexta-feira (6) após fazer afirmação questionável em sessão da Câmara de Aracruz, Ivan Pestana, voltou a, no mínimo, chamar atenção pelas palavras que profere. Acionado por uma jornalista do G1 ES para comentar a sua retirada da pasta de Saúde, afirmou que foi interpretado de maneira equivocada e explicou que o objetivo era dizer que Deus determina quanto tempo vamos ficar na Terra. 

“A gente não morre antes do tempo, não é? Quando Deus chama para conversar, a gente tem que ir”. Mas, questionado em seguida se a vida das pessoas não poderia ser preservada por mais tempo, caso o sistema de saúde fosse adequado, disparou: “Aí você tem que perguntar a Jesus Cristo. Assim como o Pai te dá a vida, ele tira”, respondeu. Em seguida, a ligação foi interrompida.

A EXONERAÇÃO

Após a repercussão negativa da afirmação: 'Só morre quando chega a hora', ao ser questionado em relação às condições das unidades de saúde da cidade, o secretário de Saúde foi exonerado nesta sexta-feira (6). A confirmação da saída de Ivan Pestana foi dada pelo prefeito da cidade, Jones Cavaglieri.

Conforme reportagem publicada mais cedo pelo Gazeta Online, Pestana, ao ser questionado em relação às condições das unidades de saúde da cidade, disparou: "A pessoa só morre quando chega a hora".

VEJA VÍDEO

Episódio ocorreu durante sessão especial da Câmara na tarde desta quinta-feira (5)

 

De acordo com o prefeito, que assume a vaga de Pestana é a servidora Juliana Soneghet Baiocco Louzada. Com experiência de muitos anos na área da saúde, Juliana é enfermeira formada pela USP e pós graduada em Auditoria de Saúde, Atenção Primária a Saúde e Gestão em Saúde. Segundo nota enviada pela prefeitura, Juliana também já foi secretária de Saúde em João Neiva e na própria cidade de Aracruz.

O CASO

Os vereadores discutiam sobre atendimento médicos nas unidades de saúde, estrutura dos prédios públicos (reforma e construção) e outros tópicos relacionados à qualidade do atendimento ao cidadão. Ao ser indagado pelo vereador Celson da Farmácia (PRB) sobre o que poderia ser feito para melhorar o atendimento nas unidades de Saúde do bairro Coqueiral, que estaria precário, de acordo com o vereador, o secretário respondeu: "Com todo respeito, só morre quando chega a hora".

O vereador rebateu dizendo. "O senhor falou que a pessoa só morre quando chega a hora? Não senhor, eu não concordo com isso...Quando eu trabalhei no hospital, nós ajudamos pessoas a voltar à vida. Acho que o senhor está equivocado com relação a isso. Se a pessoa não tiver um socorro imediato, ela morre mesmo. É um absurdo você falar um negócio desses. Você tem que tomar mais conhecimento do que fala", finalizou.