Notícia

Veterinária descobre origem de gata resgatada em tragédia na BR 101

Apelidada de Fênix após sobreviver de acidente em Viana que deixou quatro pessoas mortas, gatinha pertencia a casal que morreu na tragédia

Gatinha resgatada em tragédia na BR 101 em Viana
Gatinha resgatada em tragédia na BR 101 em Viana
Foto: Arquivo Pessoal

Depois de muitas buscas, a veterinária Noely Godoi conseguiu descobrir a origem e o nome da gatinha resgatada na tragédia da BR 101, em Viana, na semana passada. Rebatizada de Fênix, por ter renascido das cinzas como o pássaro da mitologia grega, a gata, na verdade, se chama Solfie e pertencia ao casal Luiz Marcelo Dantas e Penha Ferman, mortos no acidente. 

Para desvendar a história de Solfie, a veterinária contou com a ajuda da internet. A notícia sobre o resgate da gata, divulgada no Gazeta Online e nas redes sociais, foi o ponto de partida para que Noely começasse a montar o quebra-cabeça. Após a reportagem, ela recebeu uma ligação com as primeiras informações: a gatinha e a família eram de Colatina e estavam a caminho de Marechal Floriano, onde passariam o feriado, quando o acidente aconteceu.

"Ontem (segunda), perto das 20h30, eu recebi uma ligação de uma pessoa chamada Mirela. Ela me disse que sabia quem eram os proprietários da gatinha e contou que havia um parente trabalhando na investigação do acidente. Pela placa do carro (um Peugeot), eles conseguiram descobrir o proprietário do veículo, que se chamava Luiz Marcelo Dantas. Quando ela viu o nome, percebeu que se tratava do rapaz que havia alugado a chácara dela em Marechal Floriano e com quem ela não tinha mais conseguido contato desde o dia do acidente. Eles alugaram a chácara de quinta a domingo, mas de última hora ligaram pedindo para ir na quarta depois do almoço. A Mirela me passou o telefone de uma prima do Luiz Marcelo, que me confirmou que ele realmente tinha uma gata. Mas essa prima mora no Rio de Janeiro e não era muito próxima ao dono da gatinha, por isso não havia tantas informações", contou.

Solfie: antes e depois de tragédia na BR 101
Solfie: antes e depois de tragédia na BR 101
Foto: Reprodução/ Facebook

A veterinária então, buscou o perfil de Luiz Marcelo Dantas no Facebook. Na página dele encontrou uma foto do homem com uma gata, e depois de muito vasculhar a rede social, descobriu o nome e a página da esposa de Dantas: Penha Ferman. Na página de Penha há muitas fotos de gatos, e descobriu que Solfie (ou Fênix) tinha duas irmãs.

"O Facebook do Luiz Marcelo é fechado, nós demoramos até descobrir quem era a esposa dela. Mas quando abrimos a página da Penha, encontramos um book de fotos da Fênix, e descobrimos que, na verdade, ela se chamava Solfie e que o casal tinha ainda outras duas gatas: uma siamesa, batizada de Madona, e uma tigradinha, de nome Brigitte", explica.

Aos poucos, as peças se encaixaram e Noely recebeu da própria gatinha a resposta que precisava para ter certeza de que estava no caminho certo. 

Fui no quarto e chamei ela pelo nome. Quando ela ouviu eu gritar Solfie, ela começou a miar desesperadamente. Ali tive certeza de que as minhas conclusões estavam certas. Ela mudou 100% do comportamento a partir do momento que passamos a chamá-la pelo nome
Noely Godoi, veterinária

Por fim, a veterinária descobriu ter um amigo em comum com a dona da gatinha. Através dele, Noely confirmou a suspeita de que as outras duas gatas também estavam no carro no dia do acidente.

"Esse meu amigo me mandou uma mensagem e disse que morava no mesmo prédio do casal em Colatina. Ele foi até a porta, chamou por eles, chamou as gatas pelos nomes e ninguém respondeu, estava tudo em silêncio. Pela rede social deu para perceber que eles amavam muito as gatinhas, não iriam viajar e levar apenas uma. Então liguei para Mirela e ela contou que o Luiz Marcelo havia mencionado em uma mensagem de áudio que viajaria com as três gatas", esclareceu.

CASTRAÇÃO AJUDOU GATA A SOBREVIVER

Solfie após o primeiro banho depois de ser resgatada
Solfie após o primeiro banho depois de ser resgatada
Foto: Arquivo Pessoal

Noely acredita que as três gatinhas eram transportadas em caixinhas adequadas. Na visão da veterinária, Solfie teve a sorte de, por algum motivo, não ter ficado presa na caixa transportadora. A gatinha também foi castrada no final de setembro, o que deve ter ajudado Solfie a sobreviver mesmo com queimaduras graves.

"Ela devia estar naquelas caixinhas de plástico, que pode ter quebrado ou derretido com a batida e ela conseguiu escapar. A gente descobriu que ela foi castrada dias antes, e nesses caso o animal toma antibiótico por uns cinco dias após a castração. Ela já não devia mais estra tomando o remédio, mas devia ter um restinho da medicação no organismo dela, o que ajudou os ferimentos a não infeccionarem logo após o acidente. Ela poderia até ter tido uma infecção generalizada, porque foram queimaduras muito fortes", avalia.

Solfie tem se recuperado bem. A história da gatinha comoveu gente até de fora do Espírito Santo. Pelas redes sociais, além de mensagens de apoio, chegam também ajuda para custear o tratamento e até doações de medicamentos.

"Uma médica de Fortaleza me procurou oferecendo ajuda. Ela mandou, via sedex, uma pomada que vai auxiliar na recuperação dela de forma indescritível. Tem muita gente com coração aberto para ajudar. A pele do rosto está começando a se soltar, e isso vai acontecer com o corpo todo. Ela tem uma lesão na pata que talvez precise de cirurgia. É um tratamento longo, a Solfie tem se recuperado bem e está recebendo tratamento de rainha", garante Noely.

"ELA PRECISA DE AMOR"

Nesta terça-feira (17), Noely conseguiu contato com uma irmã de Penha Ferman. A família do casal, morto na tragédia em Viana, afirmou não ter interesse em ficar com a gatinha e autorizou a veterinária a adotar Solfie. 

"Solfie é uma gatinha muito novinha, com menos de um ano, e que já perdeu a família toda em um acidente trágico. O Luiz Marcelo e a Penha não iriam querer que ela ficasse com alguém da família só por obrigação, mas com alguém capaz de dar para ela todo o amor. A gente já tem um carinho muito grande por ela. Durmo no chão com ela todos os dias para o caso dela precisar de alguma coisa. Vou ficar com ela e dar todo o amor que ela merece e precisa", conclui.

Solfie após castração, e antes de tragédia na BR 101
Solfie após castração, e antes de tragédia na BR 101
Foto: Reprodução/ Facebook

Ver comentários