Notícia

"A gente já perdeu a vontade há tempos", desabafa professora agredida

Estudante não concordou com a nota recebida e acertou a professora com maquete de madeira

A maquete usada pela estudante para acertar as costas da professora

A apresentação de um trabalho de Matemática em uma escola da rede estadual terminou na delegacia, na manhã desta quarta (29), no bairro Morada de Santa Fé, em Cariacica. O motivo foi a agressão de uma aluna, de 17 anos, contra uma professora, de 43. Segundo a vítima, a estudante usou o próprio trabalho, uma maquete com base de madeira, para agredi-la, e fez isso depois que soube que o material estava incompleto. O nome da escola não está sendo divulgado para que a identidade da adolescente e da vítima sejam preservadas.

A professora estava em uma sala de aula junto com a aluna, do 1º ano do Ensino Médio, e uma outra estudante, quando foi agredida, por volta das 8 horas. Segundo a educadora, as duas iriam apresentar um trabalho sobre semelhança de triângulos, que seria exposto em uma maquete. Elas chegaram a levar a maquete, mas, após verificá-la, a professora viu que o material estava incompleto.

“Era para elas terem feito um prédio e uma estaca, ou uma árvore, para que eles formassem dois triângulos na maquete. Mas só tinha um prédio. Então falei que o trabalho estava muito bonito, mas estava errado. Ela respondeu: ‘o que está errado, minha filha?’, em tom de deboche. Eu expliquei como deveria ser o trabalho e, quando vi, ela começou a me agredir”, lembrou.

Inicialmente, a estudante pegou a maquete e tentou atingi-la no rosto da professora. Na tentativa de se defender, a vítima colocou o braço esquerdo na frente. O braço dela acabou sendo atingido, e, ao virar as costas para sair da sala, ela ainda foi agredida nas costas.

Rápido

“Foi muito rápido. A outra estudante ainda tentou reprimi-la, mas não adiantou. Depois que ela me atingiu com a maquete nas costas, eu saí da sala e já fui ligando para a Polícia Militar. Então os policiais chegaram e nós fomos levadas para a delegacia, cada uma em uma viatura”, contou.

As duas foram levadas para a 4ª Delegacia Regional de Cariacica. A mãe da aluna e o diretor da escola também foram à unidade, mas não quiseram falar sobre o ocorrido. A mãe afirmou apenas que a estudante não é agressiva, mas tem personalidade forte. Ela disse ainda que a estudante já tinha se envolvido em ocorrências dentro da escola, mas nunca chegou a parar na delegacia.

“A gente já perdeu a vontade há tempos” - professora, X

A professora, que trabalha, há 26 anos, dando aula de Matemática revelou que agressões verbais são corriqueiras, mas que nunca foi agredida fisicamente.

> Leia: Revoltada com nota, aluna agride professora dentro de sala em Cariacica

A turma onde esta aluna estuda é muito cheia?

Sim, muito cheia. Mas hoje (ontem) a apresentação era só dela e de uma outra aluna.

Professora mostra as costas com sinais de agressãoComo é o comportamento dessa aluna?

Ela estuda na escola há uns dois anos. Repetiu o primeiro ano e falta bastante. Ela, às vezes, destrata, ou trata com agressividade os superiores.

Com você, ela já havia feito alguma coisa?

Sim. Ela já me agrediu verbalmente. Mas eu sempre ignorei para evitar problemas. Isso já é corriqueiro na escola.

O que passou pela sua cabeça quando foi agredida?

Pensava que tinha que sair dali, não podia revidar a agressão.

O que espera que aconteça?

Não sei. O que ecoa na minha mente são as frases “menor sempre tem razão” e “a verdade não importa”.

Isso desanima?

A gente já perdeu a vontade há tempos. O tratamento é agressivo, de cima para baixo. Isso só é o reflexo. Gostaria que não acontecesse outra vez, que parassem. Só isso.

Autuada por agressão e reintegrada à família

A adolescente de 17 anos confessou ter agredido a professora dentro da sala de aula, em depoimento prestado na 4ª Delegacia Regional de Cariacica.

A jovem contou que tudo teria acontecido por conta da avaliação de um trabalho escolar. A educadora teria dito que a atividade da aluna não estaria de acordo com o que ela pediu.

A estudante afirmou não ter concordado com a nota e que, neste momento, teria se referido à professora como “meu amor” e ela teria entendido como falta de respeito, pedindo uma retratação da menor.

A adolescente disse ter xingado a vítima, que teria a respondido, momento em que a menor pegou uma maquete de madeira e bateu no braço da educadora. 

A professora se levantou para sair da sala e a estudante ainda relatou que a acertou novamente nas costas. Os funcionários da escola chamaram a polícia, que foi até o local e conduziu as duas à delegacia.

A menor acabou autuada por agressão e foi reintegrada à família no final da manhã. A direção da escola informou que, imediatamente, a família da estudante foi acionada e também encaminhada para delegacia onde foi registrado o boletim de ocorrência.

A direção vai se reunir com o Conselho Escolar para providências, conforme regulamenta o Regimento Comum da Escolas da Rede Estadual.

 

 

Ver comentários