Notícia

Prédios da orla de Vila Velha só poderão fazer sombra após as 15 horas

Esta é uma das propostas do novo Plano Diretor Municipal da cidade

Projeção da sombra prédios sobre a areia já acontece na Praia da Costa
Projeção da sombra prédios sobre a areia já acontece na Praia da Costa
Foto: Guilherme Ferrari/Arquivo

Na orla de Vila Velha, os novos prédios a serem construídos não vão poder atrapalhar ainda mais quem quiser tomar um sol na praia até o final da tarde. É que o novo Plano Diretor Municipal (PDM) propõe uma análise de sombreamento para todos os empreendimentos construídos na primeira e segunda quadras do mar. A sombra não poderá ser projetada sobre a areia pelo menos até as 15 horas.

A última reunião pública de revisão do PDM aconteceu na tarde desta segunda-feira (20) e, após realizar diversas reuniões nas cinco regiões de Vila Velha, fóruns, seminários temáticos, audiências públicas e reunião no Ministério Público, a prefeitura estabeleceu uma normativa para construção de edificações na orla do município.

A partir da revisão do PDM, os novos empreendimentos precisarão ser analisados para que não seja projetada sombra na praia até as 15h. De acordo com o secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Mobilidade, Antônio Marcus Machado, não é possível estabelecer um limite máximo de andares por edifício.

“A altura dos empreendimentos depende da localização. A orla de Vila Velha não é uma reta, então a altura permitida vai depender da localização do prédio”, explicou.

Além disso, o secretário afirmou que essa limitação não é um impedimento para a verticalização. “É uma maneira de favorecer a cidade e o turismo. Queremos preservar esse atributo de Vila Velha”, reforçou.

Sobre os edifícios que já foram construídos, o secretário afirmou que servirão de limite para os que possam ser construídos atrás. “Quem for construir atrás de prédios que já projetam sombras deverá tomar como limite a sombra que já é projetada”, disse. Dessa forma, não é possível que prédios que ocupem a segunda quadra da praia superem em altura os prédios da orla.

O PLANO

O próximo passo é levar o projeto para a Câmara de Vereadores do município, o que está previsto para acontecer na próxima segunda-feira. Após aprovação, o PDM norteará o desenvolvimento urbano de Vila Velha pelo período de 2017 a 2027. Em Vila Velha, a última alteração do PDM foi realizada em 2007.

O Plano Diretor Municipal (PDM) é um instrumento para ordenar a expansão urbana e fazer com que o município se desenvolva de forma organizada. O documento possibilita a implantação de políticas fiscais, econômicas e administrativas voltadas para o desenvolvimento urbano.

O QUE MUDA

Sombreamento

Como é hoje

O município não tem uma legislação que regulamenta a altura dos prédios e a sombra projetada na orla.

Com a nova proposta

O PDM vai estabelecer uma análise de sombreamento para os empreendimentos, dessa forma não será permitido construir edifícios que projetem sombra na praia até as 15 horas.

Mais atrativos em áreas de preservação

Além de regulamentar a construção de edifícios na orla do município, o Plano Diretor Municipal (PDM) de Vila Velha apresenta propostas para aliar o lazer com a questão ambiental, em áreas de preservação como o Parque do Morro da Mantegueira, Morro do Moreno e Lagoa Jacuné.

A ideia vai além de incentivar o uso e visitação dos parques pelos moradores e propõe que essas regiões permaneçam como áreas de preservação ambiental e que, por meio do uso sustentável, seja possível gerar receita para o município.

Além do atrativo turístico, a proposta do plano desenvolvido pela prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Mobilidade (SEMDU), em parceria com a comunidade, pretende dar aos parques um uso mais acadêmico.

“A função de áreas como essas não é só atrair visitantes, mas estimular pesquisas na área. É importante explorar a região para desenvolver pesquisas”, disse.

Em uma entrevista anterior ao jornal A GAZETA, o secretário afirmou também a necessidade de valorizar esses espaços. “A ideia é valorizar os parques que já temos. Estimular as pessoas a usufruírem mais da área verde”, afirmou Antônio Marcus.

Área da BR 101: incentivo a atividades econômicas

Outra medida proposta pelo Plano Diretor Municipal (PDM) de Vila Velha diz respeito a estimular um uso mais econômico da região da BR 101 que corta o município. A ideia é criar um eixo de dinamização ao longo da rodovia, que seria conhecida como “zona agrossustentável”.

“Vamos permitir na região a implantação de atividades econômicas e de logística importantes para a cidade. Vamos estimular e autorizar investimentos ligados à economia, o que é bastante importante para toda a Grande Vitória”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano de Vila Velha, Antônio Marcus Machado.

O Plano é desenvolvido pela Prefeitura pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Mobilidade (SEMDU), e possibilita o planejamento de políticas públicas para o desenvolvimento urbano do município.

Ver comentários