Notícia

Solidariedade: mãe de candidata vigia bicicleta de jovem no Enem

Israelly dos Anjos chegou faltando três minutos para os portões fecharem e contou com a ajuda de Margarete que nem a conhecia

Margarete e Israelly se abraçaram após o fim da prova
Margarete e Israelly se abraçaram após o fim da prova
Foto: Debora Sonegheti

Uma história de solidariedade chamou a atenção durante a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (12), na Faesa de Monte Belo, em Vitória. Ao ver uma jovem que ia fazer a prova preocupada por não poder entrar com a bicicleta no local, a mãe de uma candidata se propôs a vigiar a bike durante todo o tempo da prova. O detalhe é que as duas nem se conheciam.

Margarete Hoffet, 56, levou a filha Clarissa Maria Hoffet, 18, para fazer a prova. Depois que a filha entrou, ela ficou esperando sentada do lado de fora.

Foi quando faltando três minutos para o fechamento dos portões, ela viu Israelly dos Anjos, 20, chegar correndo de bicicleta. A jovem foi informada de que não conseguiria deixar a bike dentro do local de prova. Para não perder a entrada, Israelly deixou a bicicleta do lado de fora, sem prender, e entrou. Margarete viu a situação e decidiu cuidar da bicicleta da jovem até que ela saísse. Ela gritou para Israelly “pode entrar que fico aqui olhando a bicicleta”.

E ficou mesmo. Margarete foi lanchar, levou a bike atrás. Foi dar uma volta pela rua para espairecer e também levou a bicicleta.

Margarete (centro) vigiou a bicicleta de Israelly (de rosa) enquanto esperava a filha Clarissa
Margarete (centro) vigiou a bicicleta de Israelly (de rosa) enquanto esperava a filha Clarissa
Foto: Debora Soneghet

No final da prova, mais um exemplo de altruísmo. A filha da dona Margarete acabou a prova às 17h20, mas ela ficou até 18h10 na frente da Faesa esperando pela saída de Israelly.

“Cheguei muito atrasada, e faltava três minutos para fechar o portão. Ela estava aqui e falou - deixa a bike aqui, corre, entra - e me ajudou muito. Fiquei preocupada dela ir embora e ao mesmo tempo preocupada dela ficar aqui até tarde me esperando. Mas graças a Deus ela está aqui”, disse a estudante ao final da prova.

No que dependesse de Margarete, a jovem poderia mesmo fazer uma prova tranquila.“Eu esperaria até amanhã para devolver a bicicleta. Espero que seja o veículo para trilhar o caminho dos sonhos dela!”, afirmou. (Com informações de Debora Soneghetti do Curso de Residência em Jornalismo da Rede Gazeta)

Ver comentários