Notícia

"Treme-treme": golpe pode deixar viagens de aplicativo mais caras

A Associação de Motoristas por Aplicativo do ES informou que recebeu informações sobre o golpe, mas que a prática ainda não foi registrada no estado

"Treme-treme": golpe pode deixar viagens de aplicativo mais caras
"Treme-treme": golpe pode deixar viagens de aplicativo mais caras
Foto: Divulgação

O vai e vem de passageiros em transportes de aplicativo está cada vez mais comum nas cidades. A escolha, em muitos casos, acontece por conta dos preços reduzidos e da praticidade na hora de solicitar a viagem. No entanto, denúncias recentes apontam que alguns motoristas de aplicativo estão dando um golpe conhecido como “treme-treme” para superfaturar o preço das viagens.

O golpe consiste em uma tática usada para burlar o sistema de GPS do celular durante as viagens e fazer com que o trajeto pareça mais longo do que realmente foi. A Associação de Motoristas por Aplicativo do Espírito Santo informou que recebeu informações sobre o golpe, mas que a prática ainda não foi registrada no estado.

 

ESPECIALISTA DÁ ORIENTAÇÕES

De acordo com o especialista em tecnologia e comentarista da Rádio CBN Vitória, Gilberto Sudré, o golpe acontece quando o motorista de aplicativo realiza a viagem com o celular em modo de “economia de bateria”. A tática diminui a precisão do GPS ao indicar o caminho a ser seguido, fazendo com que várias rotas sejam calculadas ao longo do trajeto. A prática irregular funciona apenas nos celulares do tipo android.

“Quando você tem um aparelho android e coloca no modo de economia de energia, ele diminui a precisão do GPS. Com isso, o GPS faz um cálculo errado. Como o aplicativo usa o GPS para saber o caminho percorrido para fazer a cobrança, como o GPS fez um cálculo errado, o valor ficar muito maior do que o trajeto onde o carro passou”, explicou Gilberto.

ASSOCIAÇÃO JÁ SABE DO PROBLEMA

O presidente da Associação de Motoristas por aplicativo do Espírito Santo, Luiz Fernando Muller, afirmou que diversos motoristas capixabas receberam informações dizendo que o golpe já é aplicado em outros estados do país. No entanto, ele afirma que não há registro do problema no Espírito Santo.

"Como essa notícia já rodou. A maioria dos motoristas repudiou essa atitude. A gente, como associação, repudia totalmente essa prática. É uma desonestidade. A gente considera como roubo, porque você está roubando o passageiro", opinou o presidente da associação.

Luiz Fernando Muller, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos do ES
Luiz Fernando Muller, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos do ES
Foto: Rafael Monteiro de Barros

O representante da associação também deu dica para que os passageiros consigam se prevenir de qualquer prática criminosa. Uma das orientações é comparar o valor estimado da viagem com o valor final. Se a diferença for alta, alguma fraude pode ter acontecido. 

EMPRESA DIZ QUE MANTÉM VIGILÂNCIA

Procurada pela reportagem da rádio CBN Vitória, a empresa Uber afirmou que mantém equipes e tecnologias permanentemente analisando viagens suspeitas ou violações de termos de uso. Segundo a empresa, caso a irregularidade seja comprovada, os envolvidos podem ser descredenciados da plataforma.

COMO FAZER AS DENÚNCIAS?

Caso o problema aconteça no Espírito Santo, a Polícia Civil orienta para que as vítimas desse tipo de caso registrem a ocorrência em qualquer delegacia, munidas de todo material que comprove o crime e que auxilie a polícia no trabalho de investigação.

Passageiros que se sentirem prejudicados também podem fazer denúncias por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo site do dique denúncia,onde é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas. O sigilo e anonimato são garantidos.

Ver comentários