Notícia

Competitividade vem com equilíbrio fiscal

Reforma da Previdência e ajuste nas contas públicas foram temas do encontro ES Competitivo

O caminho para o equilíbrio fiscal foi o assunto discutido, ontem, por empresários e autoridades que estavam reunidos no ES Competitivo em Colatina, no Noroeste do Estado. O evento é promovido pela TV Gazeta.

Segundo o governador Paulo Hartung, a competitividade deveria se transformar em meta mobilizadora dos capixabas, mas, para que isso ocorra, é preciso ter equilíbrio fiscal nas contas, como na saúde e na Previdência.

Governador Paulo Hartung foi um dos palestrantes do  encontro, que reuniu lideranças políticas e empresariais em Colatina, no Noroeste do Estado
Governador Paulo Hartung foi um dos palestrantes do encontro, que reuniu lideranças políticas e empresariais em Colatina, no Noroeste do Estado
Foto: Raquel Lopes

“Precisamos fazer da competitividade uma meta mobilizadora da sociedade porque o mundo está cada vez mais integrado”, disse. “Nós podemos reconquistar o equilíbrio fiscal fazendo ajuste nas contas públicas nacionais. O governo não pode gastar mais do que tem. Dentro desse plano de reorganizar, temos que reorganizar a Previdência Social privada e pública. Quando não organiza, falta dinheiro pra fazer o que pode ser feito e aumentar a competitividade”, reiterou.

Previdência

A reforma da Previdência foi apontada como uma ação urgente para equilibrar as contas do Estado, cuja previsão para 2016 é de déficit de R$ 1,5 bilhão, sendo que, em 2010, eram de R$ 704 milhões.

Para o secretário estadual de Economia e Planejamento, Regis Mattos, um dos grandes desafios do país para que ele possa voltar a crescer e gerar emprego é equilibrar as contas e, para isso, é importante equilibrar o sistema previdenciário, porque “o déficit tem caráter estrutural e precisa ser estancado”.

“O desafio maior é construirmos no país e no Espírito Santo um sistema previdenciário que seja sustentável, em que as despesas estejam cobertas pelo sistema previdenciário agora e no futuro. Somente dessa forma poderemos garantir que as aposentadorias sejam pagas em dia e integralmente.”

Os custos da saúde também foram discutidos no evento. O gerente de planejamento da Secretaria Estadual de Saúde, Francisco José Dias da Silva, afirma que o gasto de saúde do Estado por ano é de R$ 2,5 bi. Para manter o serviço com os recursos disponíveis é preciso aumentar a eficiência na contratação e prestação de serviços. “Temos que redirecionar os esforços para que a atenção primária funcione adequadamente. Isso diminuiria custo significativamente”.

Hartung quer mais investimentos no Estado

Um dia após o grupo Minerva Foods anunciar a compra do frigorífico Frisa por R$ 250 milhões, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), informou que já está em diálogo com o grupo Minerva para discutir a atuação da empresa no Estado e estimular a ampliação das atividades em terras capixabas. Será marcado para os próximos dias um encontro entre Hartung e executivos da Minerva.

O governador informou que a venda do Frisa Frigorífico representa uma mistura de sentimentos que vai desde a tristeza, por ver a empresa saindo das mãos de uma família capixaba, até o orgulho por uma empresa de porte mundial demonstrar interesse em uma área de atuação no Estado.

“Temos aspectos diferentes para analisar o caso. O primeiro foi no ponto de vista emocional, pois o negócio foi organizado no Espírito Santo. Mas tem uma vida em mudança e os negócios são planetários. Mas a venda pode ser algo positivo. Vamos chamar a empresa para que desenvolvam mais negócios no Estado. Se formos bem-sucedidos, um negócio global no Estado pode gerar novos empregos, ampliar e gerar renda e assim por diante”, afirma.

Ver comentários