Notícia

Consumidores economizam até 30% com troca de marcas

Nas compras, consumidor tem optado por produtos mais baratos

Em busca de economia, Marília Pelluzzo deixou de consumir cortes bovinos de primeira, como filé mignon, e passou a comprar mais frango e carnes de segunda.
Em busca de economia, Marília Pelluzzo deixou de consumir cortes bovinos de primeira, como filé mignon, e passou a comprar mais frango e carnes de segunda.
Foto: Ricardo Medeiros

A queda na renda das famílias e o aperto financeiro que a crise econômica provocou na população fez com que muita gente mudasse o comportamento na hora de fazer a compra no supermercado. Segundo um estudo realizado pela empresa de pesquisas Nielsen, a troca de marcas caras por mais baratas foi a principal estratégia dos consumidores para baixar o custo da compra no supermercado: 42% dos entrevistados trocaram marcas por mais baratas.

Segundo economistas, essa atitude pode representar uma economia média de 20% a 30% por compra, e pode chegar a até 50% em alguns produtos.

Para reduzir custos, a troca de marcas mais caras por outras de valor menor é uma boa estratégia, explica Paulo Cezar Ribeiro, economista e coordenador de extensão da Rede Doctum.

“Nos últimos dois anos, quando a gente faz a pesquisa de preço da cesta básica da classe média, percebemos o surgimento de muitas marcas nas áreas de alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal tentando ganhar mercado pelo preço mais baixo. É uma economia na média de 30%, mas a diferença de preço pode chegar a 40% ou 50% dependendo do produto”, revela.

Segundo ele, é um método que funciona, mas vai depender de a pessoa abrir mão da qualidade. “Alguns produtos são difíceis ter a mesma qualidade; às vezes, a qualidade será um pouco inferior, mas o consumidor que precisa economizar tem que procurar uma marca que possa se adaptar”.

As promoções também pesaram para boa parte dos consumidores. Outra pesquisa, da Kantar Worldpanel, revelou que o principal fator de decisão para escolha do supermercado onde o consumidor vai – para 55% deles – são as ofertas e promoções.

Danielle Duarte conta que trocou marcas de produtos como achocolatado e café
Danielle Duarte conta que trocou marcas de produtos como achocolatado e café
Foto: Ricardo Medeiros

Mudanças

No Estado, se em 2015 o ano foi de queda nas vendas, com um déficit de 1,9% no faturamento em relação a 2014, em 2016 houve crescimento de 1,58%, em relação a 2015. Mas, em 2016, o lucro das empresas despencou mais de 40%, segundo o superintendente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), Hélio Schneider.

“Nós tivemos, principalmente depois do segundo semestre de 2015, e em 2016, uma mudança radical no comportamento do consumidor. O consumidor começou a perceber que ele estava numa insegurança muito perceptível e, mesmo tendo condição econômica de se abastecer melhor, ele começou a se reter. Começamos a ver que ele estava procurando os produtos de menor valor agregado e trocou marcas para as mais baratas. E houve também uma redução na quantidade dos produtos comprados”, explica.

Outra mudança, diz Schneider, é que o consumidor passou a comprar uma quantidade menor por vez e a ir mais vezes no supermercado, aproveitando produtos de promoção. “Sempre houve promoção, mas hoje os supermercados estão fazendo cada vez mais promoções para aumentar as vendas, embora perdendo a rentabilidade. É uma maneira de alavancar as vendas, pois há compromissos que precisam ser pagos no fim do mês”, lamenta.

Pesquise e corte itens supérfluos

Além de fazer a troca de marcas por outras mais baratas, o consumidor pode lançar mão de outras estratégias para que o gasto no supermercado pese menos no bolso. Entre algumas dicas de economistas, está a pesquisa de preços entre mais de um estabelecimento e o corte dos produtos chamados supérfluos.

No esforço para economizar, é importante rever o próprio padrão de consumo, explica o professor Celso Bissoli.

“Tem que fazer o exercício de autoanálise para ver se tudo que está consumindo é realmente necessário, se é possível adiar aquele consumo para outro momento. Essa é uma forma de evitar esse vazamento de renda com coisas não tão essenciais. Em alguns casos, a saída não é necessariamente reduzir o consumo, mas fazer uma pesquisa de preços indo a diferentes estabelecimentos. Às vezes, só de trocar o estabelecimento que o consumidor está acostumado a ir já pode trazer economia”, destaca.

Ir ao supermercado com uma lista fechada e não fugir dela é outra recomendação, frisa o diretor de Economia da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Roberto Vertamatti.

“Além de não comprar além do que necessita, é preciso se preocupar com o vencimento dos produtos. É comum as ofertas relâmpagos de produtos validade pouco estendida”, avalia Vertamatti.

Outra questão é buscar sempre produtos de hortifrúti de época, que tendem a ser mais baratos. “Aprender a trocar produtos quando o preço está muito alto é importante”.

Acompanhar promoções também é outra estratégia que, segundo o professor Paulo Cezar Ribeiro, dá certo.

“Às vezes, o produto de marca mais tradicional também entra em oferta. A dica é sempre rastrear os encartes e ver o que está com o preço melhor. Outra dica seria fazer a pesquisa de preço em mais de um estabelecimento. Mesmo com as marcas mais simples é possível conseguir um preço melhor de um supermercado para outro. A diferença varia de 20% a 40%”, diz.

Poupe dinheiro

A pesquisa de preços é fundamental para quem quer economizar. A dica é anotar preços e ir a pelo menos três estabelecimentos.

Produtos que não são de primeira necessidade, mesmo baratos, podem pesar na hora do pagamento. Por isso, avalie se precisa mesmo daquilo.

Se ater à lista de compras é a melhor forma de não comprar produtos por impulso, que são desnecessários.

Rastrear encartes e ver o que está com o preço melhor ajuda a aproveitar os melhores valores dos produtos. Mas cuidado com o vencimento: é comum as ofertas relâmpagos de produtos com validade pouco estendida.

Terça, quarta e quinta geralmente são os dias que concentram mais promoções nos supermercados.

Os produtos de época são sempre os mais em conta. Aproveite para comprar mais deles na época de safra.

A troca de marcas por mais baratos vai render economia de até 50%, dependente do produto.

Ver comentários