Notícia

Indicação geográfica protege e valoriza produtos tradicionais do ES

O conceito, que foi exposto durante um painel na TecnoAgro, é uma indicação de qualidade dos produtos de determinadas regiões

Palestra na TecnoAgro explica importância da Indicação Geográfica no ES
Palestra na TecnoAgro explica importância da Indicação Geográfica no ES
Foto: Debora Sonegheti

Já ouviu alguém falar que panela de barro de verdade se faz em Goiabeiras, e que Cachoeiro de Itapemirim é a terra do mármore? O nome que conceitua esse tipo de reconhecimento é “indicação geográfica” ou “IG”, uma classificação oficial para proteger os produtores e consumidores de uma iguaria tradicional.

Um dos exemplos mais conhecidos de indicação geográfica é o do Champagne. A bebida, tradicionalmente relacionada à celebrações importantes, se popularizou por todo o mundo. Porém, o que poucos sabem, é que o Champagne “de verdade” é um vinho espumante de uma pequena região da França, que carrega o nome da bebida.

“A fórmula dos criadores do método ‘Champenoise’ criou um produto único. Não se pode dizer que os espumantes de outras marcas se chamam ‘Champagne’, pois não é o produto tradicional”, explica o consultor técnico do Sebrae, Anselmo Buss. O conceito foi apresentado à uma plateia de estudantes e empreendedores neste sábado (25), durante o TecnoAgro, evento promovido pelo jornal A Gazeta.

A indicação geográfica acontece em três frentes de proteção: do produtor contra produtores de outras regiões, do produtor contra produtores da mesma região, e do consumidor para garantir a compra de um produto autêntico.

Buss ainda acrescenta que “IG não se cria, IG se reconhece”. Ao longo dos anos, algumas cidades ou regiões ganham fama por causa de seus produtos ou serviços. Quando certa qualidade ou tradição podem ser atribuídos à sua origem, a IG surge como fator decisivo para garantir proteção e diferenciação no mercado.

Hoje, o Brasil possui 55 indicações geográficas oficializadas. Dentre elas, os calçados da região de Franca, em São Paulo, o queijos da Serra da Canastra, em Minas Gerais, e o capim dourado do Jalapão, no estado do Tocantins.

Tradição no Espírito Santo vai do Vale do Itaúnas a Cachoeiro de Itapemirim

A indicação geográfica é um instrumento para proteção e agregação de valor, visando atestar uma qualidade que as pessoas já conhecem. Nas palavras do diretor geral do Ifes campus Montanha, André Sampaio, “separar o joio do trigo”. “É um exemplo claro daquilo que já é feito há muito tempo por vários produtores, e merece ser classificado e protegido”, completa.

O Espírito Santo é um estado que se destaca nacionalmente em produzir tradição e qualidade. O estado já conta com seis produtos com o selo de indicação geográfica. O cacau de Linhares, as panelas de barro de Goiabeiras, o inhame de São Bento, o mármore de Cachoeiro do Itapemirim, o socol de Venda Nova do Imigrante, e mais recentemente, a carne de sol do Vale do Itaúnas.

“A região do vale é um lugar de lindas paisagens, mas a conquista acontece pelo paladar. A ideia é mostrar que além das belezas naturais e do forró de Itaúnas, a carne de sol do Norte, que já é tão famosa, deixou de ser apenas uma receita e virou uma tradição”, explica Sampaio, que trouxe o exemplo de Itaúnas para a palestra desta tarde.

O diretor explica que a criação do conceito da indicação geográfica (IG) para um produto envolve uma marca padronizada, que será reproduzida em todo o processo de comercialização e divulgação. Ele conta que o protagonista é sempre o produtor e o território que produz.

“No caso da "Carne de Sol, existe uma associação de produtores que comanda todo o processo. Eles dizem que deve receber o selo e como ele vai ser. O Ifes empodera para que haja participação, mas quem chancela tudo é o produtor. São eles que dão validade a cada passo”. Os municípios envolvidos no projeto são Ponto Belo, Mucurici, Montanha, Pinheiros, Pedro Canário, Conceição da Barra e Boa Esperança.

André Sampaio ressalta que os produtores às vezes não tem condições para acessar um mercado diferenciado, e a criação de uma IG dá suporte para que possam crescer e se estabelecer. “Indicação geográfica é indicação de qualidade. Onde a marca estiver, significa que aquele é o produto de verdade”.

Ver comentários