Notícia

Saques acima de R$ 50 mil terão que ser avisados três dias antes

Exigência antes só ocorria para valor acima de R$ 100 mil, e era de apenas um dia útil

Agora, quem quiser retirar qualquer valor acima de R$ 50 mil em dinheiro vivo para terá que avisar seu banco com pelo menos três dias úteis de antecedência.
Agora, quem quiser retirar qualquer valor acima de R$ 50 mil em dinheiro vivo para terá que avisar seu banco com pelo menos três dias úteis de antecedência.
Foto: Pixabay

As regras para o saque de recursos elevados nas agências bancárias do país mudam a partir desta quarta-feira (27). Agora, quem quiser retirar qualquer valor acima de R$ 50 mil em dinheiro vivo para terá que avisar seu banco com pelo menos três dias úteis de antecedência. Antes, apenas os saques apenas de R$ 100 exigiam aviso prévio e, mesmo assim, de apenas um dia útil, segundo a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

A mudança foi determinada por circular do Banco Central, que quer aumentar o controle sobre as operações financeiras. Quem quiser sacar o dinheiro, precisará preencher um formulário específico, que inclui a informação de qual será a finalidade do dinheiro sacado, além de precisar identificar os responsáveis e os beneficiários dos saques. O documento estará disponível nos sites dos bancos e nas agências.

As informações serão imediatamente comunicados pelos bancos ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Em todo o ano de 2017 foram efetuadas mais de um milhão de comunicações de operações em espécie, segundo o Coaf, considerando a obrigação para valores acima de R$ 100 mil.

A

Leia também

lista de operações que devem ser informadas ao Coaf incluem, além dos saques acima de R$ 50 mil, os depósitos, a emissão ou recarga de valores acima de R$ 50 mil (ou o equivalente em moeda estrangeira) em cartões pré-pagos, e a emissão de cheque administrativo, TED ou de qualquer instrumento de transferência de fundos contra pagamentos em espécie, também acima de R$ 50 mil.

“Os bancos apoiam os novos procedimentos e controles das operações com recursos em espécie. Essas medidas contribuem para aprimorar as políticas oficiais de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, e, ao mesmo tempo, darão mais segurança aos clientes na realização das operações”, afirmou, em comunicado, o diretor adjunto da Comissão de Prevenção a Lavagem de Dinheiro da Febraban, afirma Adriano Volpini.

Diante da entrada em vigor da nova norma logo após o Natal, quando há intensa movimentação no comércio, a orientação da Febraban é que os clientes pessoas físicas e jurídicas deem preferência aos canais eletrônicos para transferências e outras transações.

“Não corra riscos desnecessários sacando valores elevados e andando com grande soma de dinheiro pelas ruas; é muito mais seguro usar os meios eletrônicos. Nos dias de hoje, com toda tecnologia existente, não justifica sair de uma agência bancária portando valores elevados”, alerta Volpini.

 

 

Ver comentários