Notícia

MP pede que consumidores denunciem preço alto da gasolina no ES

Ministério Público questiona se os preços dos combustíveis vão diminuir nos postos de revenda após a normalização do abastecimento

Preço da gasolina continua desagradando os motoristas capixabas
Preço da gasolina continua desagradando os motoristas capixabas
Foto: Eduardo Dias

Os consumidores que se sentirem lesados com reajustes no preço dos combustíveis devem encaminhar as reclamações ao Ministério Público do Espírito Santo (MPES). A orientação é do próprio órgão, que está investigando um possível aumento abusivo no preço da gasolina. 

O MPES questionou o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos), que apontou como possíveis causas a falta de abastecimento e a consequente redução da oferta do produto. A entidade informou também não ter recebido resposta oficial da dificuldade de navios que trazem combustíveis atracarem no Porto de Tubarão e relatou que tomou conhecimento desse fato pela imprensa.

Quem identificar alguma irregularidade pode encaminhar uma denúncia presencialmente nas Promotorias de Justiça; procurar a Ouvidoria do órgão; ligar no telefone 127; ou reclamar no aplicativo "MPES Cidadão, disponível gratuitamente para os sistemas Android e IOS. Também é possível entrar em contato com o Centro de Apoio de Defesa dos Direitos do Consumidor (CADC) por meio do e-mail [email protected]

A estratégia do Ministério Público agora será analisar relatórios da Agência Nacional do Petróleo, acompanhando as oscilações de preços dos combustíveis; requerer às distribuidoras a informação dos preços de vendas e estudar o relatório dos autos de constetação do Procon Estadual, nos postos de gasolina da Grande Vitória.

GASOLINA ACIMA DOS R$ 4

O preço cobrado pelo litro da gasolina nos postos da Grande Vitória continua desagradando muitos motoristas. Na semana passada a alta dos preços aconteceu após o temor da falta de combustível nas bombas. Agora que o problema do abastecimento já foi resolvido, a sensação de alguns consumidores é de que muitos postos não voltaram a cobrar o preço praticado antes da crise da semana passada, quando o navio que traz a gasolina para o Estado demorou vários dias para atracar no Porto de Tubarão.

O preço que já está alto pode ficar ainda mais salgado, já que a Petrobras já aumentou em 0,49% o preço da gasolina nas refinarias. De acordo com a estatal, o preço da gasolina, na refinaria, irá de R$ 1,7229 para R$ 1,7314.

A reportagem da CBN Vitória conferiu os preços em vários postos na manhã desta quarta-feira, em Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica. Dos 32 postos em que o preço foi consultado, apenas 8 cobravam menos de R$ 4 reais pelo litro da gasolina. 

Em Vitória, o preço mais alto encontrado foi em um posto na Reta da Penha, com o litro da gasolina custando R$ 4,39. Em Vila Velha, na Glória, os motoristas pagam até R$ 4,19 no litro do combustível.

Em relação aos preços mais baixos, em um posto de Cariacica, às margens da BR-262, o preço do litro estava custando R$ 3,89. Mesmo valor cobrado por um posto localizado no bairro Jaburuna, em Vila Velha.

O aposentado Adilson Panzin é um dos motoristas que acreditam que os preços continuaram altos após os problemas de abastecimento da semana passada.

"Pelo o que eu estou vendo de preço nos postos que eu passo, o preço subiu naqueles dias que estava faltando (gasolina), retornou alguma coisa, mas muito pouco. Está mais caro, em média, 20 centavos a mais do que estava", relatou o publicitário.

Na avaliação do empresário Alexsandro da Silva, a falta de protestos por parte dos consumidores contribui para os altos preços cobrados.

"Eu acho que a população poderia ser mobilizar mais em relação ao preço da gasolina . Eu acho absurdo do jeito que está. As pessoas poderiam fazer mobilização, para os carros nas vias de acesso. Assim, o Governo abaixaria o preço da gasolina", disse o empresário.

Em nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Espírito Santo (Sindipostos) informou que a decisão de preço cabe exclusivamente a cada revendedor, de acordo com seus custos e estratégia de mercado.

Na semana passada o Ministério Público questionou o aumento do preço praticado por alguns estabelecimentos. Nesta quarta-feira, a CBN Vitória entrou em contato com a Promotoria de Justiça do Consumidor de Vitória para saber se algum esclarecimento já foi feito, mas nenhuma resposta foi dada até o fechamento da reportagem.

Em relação a chegada de um novo navio carregado para abastecimento no Estado, a BR Distribuidora informou que a data depende da demanda e encomendas feitas pelos postos capixabas.

 

 

Ver comentários