Notícia

Saiba como investir o 13º salário na casa própria

Use o dinheiro extra na compra ou na manutenção do imóvel

Benfeitorias como reformas e uma nova decoração também fazem parte do sonho e da necessidade de muitos
Benfeitorias como reformas e uma nova decoração também fazem parte do sonho e da necessidade de muitos
Foto: Freepik

O pagamento do décimo terceiro salário deve injetar cerca de R$ 200,5 bilhões na economia, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em vez de gastar com supérfluos, especialistas indicam investimentos mais duradouros – como comprar a casa própria ou fazer benfeitorias no imóvel – saídas mais adequadas para o momento econômico.

De acordo com Eduardo Fontes, diretor da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-ES), em geral, o brasileiro utiliza o dinheiro extra para quitar dívidas ou comprar bens e produtos.

“No fim do ano notamos uma procura maior por imóveis. A facilidade de pagamento é grande, mas nem sempre as famílias possuem reserva financeira. Por isso, aproveitam o 13° para iniciar a compra da casa própria”, afirma Eduardo.

Ele explica que a facilidade é maior quando o imóvel está em construção. “Há uma diferença entre o valor do imóvel e o que o banco financia. Quando a unidade está na planta, existe a possibilidade de pagar um sinal – que cabe no 13° de muitas famílias – e o dividir o restante durante a obra”, exemplifica Eduardo.

Para o economista e professor universitário Laudeir Frauches, mesmo que o salário não pague toda a entrada ou que o comprador já tenha este dinheiro, se um imóvel está nos planos, o 13° deve ser direcionado a ele. “Quanto maior a entrada, menos juros o consumidor vai pagar ao banco. Por isso todo o dinheiro que for investido no imóvel poupará mais recursos lá na frente”, avalia.

Para quem está à procura do primeiro imóvel, a dica do economista é investir em unidades mais baratas. “O ideal é começar com uma unidade mais simples, que seja mais compatível com a própria renda. Depois, o imóvel pode ser vendido e substituído por um superior”, recomenda Laudeir.

MELHORAS 

Benfeitorias como reformas e uma nova decoração também fazem parte do sonho e da necessidade de muitos. Segundo o especialista em finanças pessoais, vale a pena utilizar o 13° nestas ocasiões. “São gastos que vão melhorar a qualidade de vida e também valorizar o imóvel. Por isso, vale a pena investir. É interessante reunir toda a família e traçar metas”, indica.

Segundo Eduardo Fontes, qualquer mudança positiva pode valorizar o imóvel e facilitar uma venda futura, inclusive uma nova decoração. “Uma reforma, desde que não altere a tipologia da unidade, agrega valor ao imóvel. Até os móveis e eletrodomésticos podem ajudar, mesmo que eles não fique após a venda, o comprador tem uma melhor impressão durante a visita”, finaliza.

Comece o ano com a casa renovada

A primeira parcela do décimo terceiro salário e a proximidade com as festas de final de ano são as desculpas perfeitas para repaginar a casa. O prazo é apertado, mas com planejamento e algumas estratégias é possível fazer uma reforma em até um mês.

Pintura, troca de piso, rebaixamento de gesso e melhorias na iluminação podem ser feitos em até 15 dias
Pintura, troca de piso, rebaixamento de gesso e melhorias na iluminação podem ser feitos em até 15 dias
Foto: Freepik

O proprietário da empresa especializada em reformas e manutenções Promovendo Qualidade e Manutenção, Fabiano Celante, afirma que a sala de estar é o cômodo mais reformado nesta época do ano. “A troca de piso, pintura, rebaixamento de gesso e uma nova iluminação dura aproximadamente 15 dias corridos, ou 10 dias úteis”. O custo da mão de obra desta reforma, segundo ele, é de, em média, R$ 4.500.

O momento também é adequado para sanar problemas como mofo e infiltração. Ou até trocar os revestimentos mais antigos. “Para resolver a infiltração, consertar a parede, fazer uma nova pintura e trocar os pisos e revestimentos é preciso 16 dias. Para não haver interrupções, a obra só deve começar quando o proprietário comprar todo o material”, explica o proprietário da Sr Marido, Marcos Andrada Fernando Muniz. 

ESTRATÉGIA

De acordo com a arquiteta Tatiana Padral, o primeiro passo para quem quer fazer uma reforma rápida é escolher materiais, pisos e revestimentos, que estejam disponíveis para pronta entrega na loja. “Os que precisam ser encomendados podem demorar de 15 a 30 dias para chegar, isso se não houver atrasos”, alerta.

Outra dica da profissional é apostar em acabamentos de fácil instalação.

“Existem materiais de colar que são super práticos, como revestimentos de madeiras que já vêm com a cola. Outra opção é o papel de parede, o tradicional ou o que imita madeira ou tijolos. A vantagem é não mexer com poeira e conseguir instalar sozinho”, orienta.

Se a opção for uma obra mais completa, a arquiteta recomenda procurar a ajuda de profissionais. “O profissional vai ajudar a montar um cronograma de obra e a segui-lo. Um projeto correto e eficiente garante mais agilidade e sucesso”, afirma.

Para os mais indecisos, fazer uma obra com prazo curto pode não ser uma boa ideia. Os profissionais entrevistados afirmam que, nesta situação, não pode haver mudanças de opinião e pausas nas obras.

“Às vezes a pessoa começa com um plano e decide mudar no decorrer da obra ou aproveita para fazer mais alguma coisa. Se a intenção é ter a casa pronta para o Natal não é possível ter esse tipo de comportamento”, finaliza Tatiana.

Sala nova

Prazo

A sala de estar é o cômodo mais reformado da casa nesta época do ano. Para trocar o piso, pintar as paredes, colocar gesso e iluminação são necessários 15 dias.

Manutenção

Infiltrações

Para resolver as infiltrações e trocar os revestimentos o prazo é de 16 dias.

Prazo de entrega

Materiais

Escolha pisos e revestimentos disponíveis para pronta entrega, os materiais que precisam ser encomendados podem levar até 30 dias para chegar.

Praticidade

Sem sujeira

Papel de parede e revestimentos autocolantes mudam a cara do ambiente sem a necessidade de obra

Decisão

Cronograma

É importante seguir à risca o cronograma de obra e não mudar de opinião durante o processo.

Ajuda profissional

Garantia

A contratação de um profissional garante a entrega no prazo e um projeto eficiente.

Custa pouco deixar a casa de cara nova

O fim de ano é a época perfeita para mudar a decoração de casa. Além de recarregar as energias para um novo ciclo, o 13° salário é um incentivo para investir em novidades. Com até R$ 15 mil é possível fazer boas transformações nos principais ambientes.

A arquiteta Melina Mundim explica que não é preciso reformar a casa inteira de uma única vez. “O mais importante é ter um projeto, depois disso, a pessoa pode colocá-lo em prática aos poucos. Construir um planejamento de 5 anos e a cada 13° fazer um cômodo, por exemplo”, recomenda.

Em uma sala de estar integrada à sala de jantar uma cliente da profissional investiu R$ 12 mil.

“O truque foi aproveitar móveis já existentes. Revesti os móveis mais escuros e antigos com laca e mandei fazer um novo estofado para as cadeiras da sala de jantar. A cortina, a luminária sobre a mesa, o sofá, a mesa de centro e o tapete são novos”, informa Melina.

PRIORIDADES 

Além de reaproveitar peças antigas, a arquiteta explica que é necessário adequar o sonho à realidade e traçar quais são as prioridades.

“É natural reformar a casa aos poucos. A família tem que escolher qual cômodo é mais urgente. A escolha vai de acordo com a necessidade, por exemplo, se tiver um novo membro da família a caminho, é melhor começar por este quarto. Se alguém estiver fazendo home office, o escritório é primordial”, explica a arquiteta.

MUDANÇAS PONTUAIS 

De acordo com o arquiteto Flávio Zamborlini, é possível fazer mudanças investindo ainda menos. “Pequenas intervenções, como uma troca de lustre, de tecido de sofás, de cadeiras ou na pintura de antigos mobiliários trazem um novo ar ao espaço. Vasos com plantas também renovam e trazem vida ao local”.

A arquiteta Bárbara Kubrusly também repaginou uma sala de estar com pouco investimento.

“Não é preciso trocar o piso, o revestimento ou comprar novos móveis para ter um ambiente novo. Muitas vezes é possível fazer transformações com o que a pessoa já tem em casa. Neste ambiente, por exemplo, usei adornos que a cliente já tinha, mas deixava guardado porque não sabia como usar”, conta Bárbara.

 

 

Ver comentários