Notícia

Financiamento ou consórcio: saiba qual o melhor para a sua necessidade

Conheça a diferença entre as modalidades de crédito para fechar o melhor negócio

O consórcio é ideal para quem pode esperar um tempo  pelo imóvel. Já no financiamento, o crédito é liberado logo após a contratação
O consórcio é ideal para quem pode esperar um tempo pelo imóvel. Já no financiamento, o crédito é liberado logo após a contratação
Foto: freepik

Comprar um imóvel à vista é uma aquisição além das possibilidades da maioria da população brasileira. Por isso, quem deseja adquirir a casa própria em 2019 - mesmo sem ter dinheiro em mãos para isso - pode recorrer às duas principais modalidades de crédito disponíveis no mercado: um financiamento ou um consórcio. A escolha depende de quanto tempo o comprador pretende esperar e de quanto ele está disposto a pagar para transformar seu sonho em realidade.

Enquanto o financiamento é uma espécie de compra parcelada com juros, taxas e prazo estabelecidos em contrato com bancos ou instituições financeiras, o consórcio é uma forma de poupança ou investimento para a aquisição de um bem, baseado na união de um grupo de compradores administrado por uma empresa especializada.

A principal diferença entre as duas modalidades é a incidência de taxas de juros. No consórcio, há apenas a cobrança de taxas administrativas; o financiamento trabalha com a cobrança de juros. Apesar das condições diferentes, a procura por ambos os modelos tem crescido no mercado. 

Leia também

Em uma simulação de crédito em 240 meses para um imóvel de R$ 200 mil, atendendo às regras de financiamento de um imóvel impostas pela maioria das instituições financeiras (financiamento de 80% do valor do imóvel e juros médios de 9%), as parcelas ficariam em torno de R$ 2.050. Já no consórcio, levando em conta a média dos valores das taxas administrativas cobradas, as mensalidades ficariam em cerca de R$ 1.125 no mesmo período.

escolha

Apesar dos valores bem distintos das parcelas, o especialista em Finanças Pessoais Alexandre Tavares afirma que a aquisição de um imóvel é uma decisão que afeta diretamente o planejamento financeiro do comprador. A escolha pela melhor forma de crédito depende do tempo que você pode esperar e do quanto está disposto a pagar para transformar seu sonho em realidade.

“O consórcio é uma ótima opção para quem não tem urgência em adquirir o bem, já que a pessoa pode ser contemplada apenas no fim do parcelamento, ou então não tem valores para dar uma entrada, já que no financiamento bancário é exigido em torno de 20%. Por outro lado, o financiamento permite que você receba o bem de imediato, assim que a operação é aprovada”, compara o especialista em Finanças Pessoais.

CONHEÇA ALGUMAS OPÇÕES DE MERCADO

Banestes

As taxas vão de 8,80% a 10,20%, conforme o perfil do cliente e de sua relação com o banco. O percentual de financiamento pode chegar a 90% do

valor imóvel.

Banco do Brasil

Taxas de juros partem de 8,49% ao ano + TR, com financiamento de até 80% do valor do imóvel. Para as linhas com recursos do FGTS, as taxas estão a partir de 5,116% ao ano + TR, com financiamento de até 90% do valor do imóvel.

Bradesco

Financia até 80% do valor do imóvel em até 30 anos. As taxas de juros partem de 8,95% ao ano.

Itaú

As taxas partem de 8,3%, variando de acordo com o perfil do

cliente e do imóvel. Financiamento de até 82% do valor do imóvel.

Caixa

No Minha Casa Minha Vida, as taxas variam de 4,59% a 5,11% para imóveis novos, dependendo da faixa de renda familiar. O prazo de financiamento vai de 120 a 360 meses. Para outras modalidades de crédito, voltadas para imóveis novos, usados ou terrenos, os juros variam de 5,11% a 11,5%.

Consórcio Porto Seguro

O valor mínimo de mensalidade para o consórcio residencial é de R$ 349, o pagamento pode ser feito em até 200 meses, e as cartas de crédito são a partir de R$ 55 mil. Além disso, é permitido utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para um lance.

1Consórcio

Atualmente, a administradora possui grupos de imóveis com créditos disponíveis de R$ 75 mil a R$ 460 mil, com parcelas a partir de R$ 706,42 e prazo de 144 meses. Está sendo analisada a abertura de grupos com créditos acima de R$ 500 mil e prazo de pagamentode até 180 meses.

Ver comentários