Notícia

Com novos points, cresce número de imóveis perto da badalação

Se há alguns anos essa era a realidade apenas de quem morava em locais específicos da Capital, como Praia do Canto e Jardim da Penha, a movimentação do mercado imobiliário fez surgirem novos points badalados na Grande Vitória

Em Jardim Camburi, a região conhecida como Laminha concentra várias opções de bares e restaurantes
Em Jardim Camburi, a região conhecida como Laminha concentra várias opções de bares e restaurantes
Foto: Edson Chagas/arquivo - 27/11/2014

Sair do trabalho e curtir o happy hour pertinho de casa ou encontrar opções gastronômicas e de diversão na rua onde mora, sem se preocupar em tirar o carro da garagem. Se há alguns anos essa era a realidade apenas de quem morava em locais específicos da Capital, como Praia do Canto e Jardim da Penha, a movimentação do mercado imobiliário fez surgirem novos points badalados na Grande Vitória.

Na avaliação do presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-ES), Sandro Carlesso, dois motivos contribuíram para essa movimentação: a insegurança e a Lei Seca. “Com isso, surgiram núcleos de entretenimento nos próprios bairros. Antes, havia só em alguns locais. Com o tempo, foi mudando, e hoje há polos em Jardim Camburi, na Capital; na Praia da Costa e em Itaparica, em Vila Velha; e na região de Laranjeiras, na Serra.”

Leia também

O movimento contrário também ocorre: regiões que se tornaram pontos badalados atraem novos empreendimentos. “O mercado foi para o entorno desses locais. Geralmente, o comprador busca uma região que tenha entretenimento, estrutura e mobilidade. Áreas com centros gastronômicos, de entretenimento, bares ou mesmo opções para almoçar fora atraem incorporadoras. São muito procurados, principalmente, pelos mais jovens”, afirma.

Em Jardim Camburi, o Spazio Vintage, da MRV Engenharia, tem apartamentos de dois e três quartos, prontos para morar. O condomínio está próximo a points do bairro, como a chamada “Laminha” (Av. Judith Leão Castelo Ribeiro), que reúne bares e restaurantes. Com itens como piscina, espaço gourmet e espaço zen, as unidades partem de R$ 275 mil.

VISTA PARA O MAR

Já na orla de Itaparica, o agito está localizado entre a Avenida Deolindo Perim e a da Praia, que reúnem bares com música ao vivo, restaurantes de frutos do mar e comida oriental, pizzaria, entre outros. Uma das opções que está no coração desse point é o Sunset Residence, da Épura, que tem cobertura à venda por R$ 867 mil.

A Avenida da Praia também é o endereço do London Ville Residence, da Galwan Construtora, que está pronto para morar. São apartamentos de três quartos, com suíte e duas vagas de garagem, a uma quadra do mar de Itaparica, a partir de R$ 486.276,99. No lazer, itens como espaço dos jovens, espaço gourmet e cinema.

Outra opção é o Mar Cáspio, da Grand Construtora, com apartamentos de dois quartos com suíte a partir de R$ 329.900. O condomínio oferece piscina, sauna, churrasqueiras, salão de festas e playground e fica próximo a restaurantes e bares badalados também em Itaparica.

“A proximidade desses serviços é importante para a compra do imóvel. Morar perto de restaurantes e bares, por exemplo, pode facilitar a vida de quem gosta de badalação, pois não precisa de carro. Em contrapartida, quem prefere o sossego pode aproveitar os inúmeros itens de lazer que o empreendimento oferece”, diz o presidente da Grand Construtora, Rodrigo Barbosa Gomes.

AVENIDA DA DIVERSÃO

Em Morada de Laranjeiras, na Serra, o burburinho é na Avenida Copacabana, com choperias, bares e restaurantes. Na região, uma das opções é o Via Jardins, da Metron Engenharia, que está em construção. Enquadrado no Minha Casa Minha Vida, o residencial tem apartamentos de um e dois quartos a partir de R$ 120 mil.

“Hoje, as famílias buscam ficar perto de suas principais demandas, desde uma escola a novos points de movimentação cultural. Esses novos locais despontam também em função do crescimento imobiliário. Muitos prédios trazem lojas no térreo que atraem esse tipo de comércio, para atender à demanda do entorno”, afirma a diretora de incorporações da Metron, Márcia Bertaso.

Ver comentários