Notícia

'Populares saquearam pertences das vítimas', diz sobrevivente

Sebastião Hilário de Souza, de Ibiraçu, acredita que cinto de segurança e local onde sentou no ônibus o ajudaram a se salvar de tragédia

Sebastião é um dos sobreviventes do acidente na Bahia
Sebastião é um dos sobreviventes do acidente na Bahia
Foto: Loreta Fagionato

O mecânico Sebastião Hilário de Souza, de 37 anos, é um dos sobreviventes da tragédia em que morreram três pessoas e 19 ficaram feridas na BR 101, na Bahia. O ônibus trazia trabalhadores do Espírito Santo que prestaram serviço a uma metalúrgica em Dias D’Ávila, na Bahia, e tinha como destino Aracruz, no Norte do Espírito Santo. Morador do bairro Mutirão, em Ibiraçu, ele contou que estava dormindo no momento em que aconteceu o acidente.

“Acabamos de jantar e partimos. Sentei na coluna entre duas janelas, fechei as cortinas e coloquei o cinto de segurança. Acredito que isso me salvou. Na hora do acidente eu me assustei, meu colega do lado estava sem cinto e eu o segurei”, revelou.

Leia também

Ele contou que o socorro demorou a chegar no local do acidente, pois tudo aconteceu em um lugar distante. “A gente estava a 120 quilômetros de Itabuna, fui chegar no hospital às 6h30 do sábado. O trecho onde aconteceu o acidente era de 60 km/h, mas ele estava a uns 90 km/h. Estava chovendo. Todos nós ficamos traumatizados”, explicou. Além disso, ele revelou que populares saquearam celulares e pertences das vítimas depois que todos os feridos foram levados ao hospital.

Ainda segundo Sebastião, estilhaços do vidro da janela bateram em seu rosto. “O Edvaldo dos Passos, de João Neiva, que morreu na hora, estava sentado na minha frente no ônibus. Depois do acidente, me deu uma crise de choro, eu não conseguia parar de chorar. Agora estou aqui, vivo, com a minha família. Cheguei hoje (03), às 6 horas. Sou um sobrevivente, graças a Deus”, afirmou.

Ao ser perguntado como era estar de volta para casa, ao lado da filha Eliza e da esposa, que está grávida, Sebastião se emocionou. Com lágrimas nos olhos, abraçou a filha mais velha e ficou em silêncio.

ACIDENTE

O ônibus com trabalhadores do Espírito Santo que prestaram serviços na Bahia saiu de Dias D’Ávila, na região metropolitana de Salvador, às 14 horas da sexta-feira (1º), com destino a Aracruz, no Norte do Espírito Santo. A previsão era chegar às 10 horas.

Porém, a viagem foi interrompida por volta de 1h30 do sábado (02), em uma curva no km 619 da BR 101, perto da cidade baiana de São João do Paraíso. Foi quando o motorista perdeu o controle da direção e o ônibus tombou. Por pouco, o veículo não caiu em uma ribanceira.

Além dos capixabas Edvaldo dos Passos e Ademar Carneiro de Andrade, o passageiro José Isael Araão Pereira, de 38 anos, também morreu na tragédia. Ele é de Minas Gerais. Dezenove pessoas ficaram feridas e foram levadas ao Hospital de Base de Itabuna.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal da Bahia, a curva é bastante perigosa e diversos acidentes já aconteceram no mesmo local. Muitos passageiros dormiam quando o ônibus tombou na rodovia. Eles contam que chovia na hora e o motorista corria.

No local do acidente, a reportagem conversou com o motorista Alexsandro Armani. “Estava molhado, nós derrapamos na dianteira e bateu”, alegou. Perguntado se estava correndo, ele garantiu que não.

Os feridos foram levados ao Hospital de Base de Itabuna, na Bahia. A maioria já foi liberada. Duas vítimas tiveram que ser operadas e estão internadas em observação. A metalúrgica Monte Serrat informou que está prestando toda a assistência necessária aos trabalhadores. (Com informações da TV Santa Cruz, afiliada da Rede Globo na Bahia)

Ver comentários