Notícia

'Relacionamento conturbado e marido violento', diz delegado

Diarista foi esfaqueada pelo marido à luz do dia em ponto de ônibus da Marechal Campos

Max da Silva Almeida já chegou a ser preso em 2015 por agredir a esposa
Max da Silva Almeida já chegou a ser preso em 2015 por agredir a esposa
Foto: Carlos Alberto Silva | GZ

"Era um relacionamento extramente conturbado", afirmou o delegado Romualdo Gianordoli, ao falar da prisão de Max da Silva Almeida, marido que esfaqueou a mulher à luz do dia em um ponto de ônibus de Vitória, na manhã desta terça-feira (5). A vítima está internada em um hospital da Capital.

Casados no papel há seis anos, o agressor disse à polícia que estava separado da vítima havia 10 dias, mas que eles ainda conversavam. Segundo Max, hoje ele havia combinado de levar a mulher de moto ao trabalho dela, mas, no meio do caminho, eles teriam iniciado uma discussão e a diarista pediu que a deixasse em um ponto de ônibus.

Leia também

Max parou a moto, a mulher saltou e ele seguiu com o veículo. Ainda de acordo com a versão do criminoso, ele novamente parou a moto e retornou ao ponto de ônibus porque queria de fato levá-la ao trabalho. Eles discutiram novamente e Max começou a esfaqueá-la.

A polícia acredita que o crime tenha sido premeditado por Max já estar com uma faca, mas o agressor disse que estava com o instrumento porque trocaria uma peça da moto. 

HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA E AGRESSÃO

Segundo o delegado Romualdo, Max tem quatro ocorrências por ameaças e agressões corporais contra a mulher. "Inclusive ele já ficou preso em dezembro de 2015 por agredi-la", complementou. 

O delegado ressaltou ainda que não tem a versão da vítima e nem dos familiares dela, mas que têm ciência de que era um relacionamento extremamente conturbado e que Max era violento.

A PRISÃO

Max foi preso em flagrante por um policial civil que passava na avenida Marechal Campos no momento da agressão. "Ele interviu, deu voz de prisão, mas Max continuou a esfaquear a vítima. O PC teve que fazer um disparo de advertência. Somente assim o agressor parou", contou o delegado.

Max foi autuado por feminicídio tentado com qualificantes de motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Ele foi encaminhado ao Centro de Triagem de Viana.

Uma diarista, de 33 anos, foi esfaqueada pelo marido, um mecânico de 34 anos, no fim da manhã desta terça-feira (5), em um ponto de ônibus da Avenida Marechal Campos, em Vitória. Ela foi socorrida e levada para um hospital da Capital. Já o agressor foi preso em flagrante. 

O CRIME

Segundo testemunhas, o homem chegou no ponto de ônibus em uma moto e começou a discutir com a mulher. Em seguida, tirou uma faca que estava escondida junto ao corpo e começou a atacar a esposa.

Aos gritos e pedindo socorro, a vítima chamou a atenção de um policial que estava em um restaurante próximo ao local em que ela estava sendo esfaqueada. Para afastar o homem da esposa, o policial atirou em uma parede que estava ao lado do acusado e conseguiu detê-lo. Ele foi preso em flagrante.

De acordo com a irmã da vítima, o relacionamento dos dois, que estão juntos há oito anos, é bastante conturbado. Ela detalha que frequentemente eles terminam e voltam e que ele sempre a ameaça dizendo que a mataria se eles não voltassem. Eles têm uma filha, de 4 anos, e a auxiliar de serviços gerais tem uma outra menina, de 11 anos.

Ver comentários