Notícia

Carretas adulteradas podem ter causado mais de 2 mil acidentes no ES

As alterações afetam os freios e prejudicam a dirigibilidade do motorista, tornando mais fácil perder o controle da carreta ou invadir a contramão

Carreta com eixo modificado causou acidente com quatro mortes em setembro de 2017 em Cachoeiro
Carreta com eixo modificado causou acidente com quatro mortes em setembro de 2017 em Cachoeiro
Foto: Geizy Gomes | Gazeta Online

Mais de dois mil acidentes, que ocorreram no Espírito Santo entre 2017 e 2018 serão investigados pela "Operação Raptores", comandada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MP-ES). Esses acidentes podem ter sido provocados por carretas que apresentavam eixo adulterado.

Segundo a PRF e o Gaeco, as alterações afetam os freios e prejudicam a dirigibilidade do motorista, uma vez que o veículo tinha a capacidade de carga aumentada de forma clandestina e, mais pesado, tornava-se mais fácil perder o controle ou invadir a contramão.    

> Carreta que causou 23 mortes em Guarapari estava com eixo adulterado

Um levantamento feito pela PRF, aponta que, em 2017, 1264 acidentes, com 123 mortos, foram provocados por situações semelhantes a essas.  Só este ano, já são pelo menos 881 acidentes e 78 mortos, nas mesmas circunstâncias. Todos serão investigados para verificar a possibilidade de terem sido provocados por carretas que tiveram o eixo alterado pela quadrilha.

"Veículos perdiam a segurança, tanto com relação a freio, quanto na estrutura. Isso fazia o condutor perder a dirigibilidade do veículo, ou ir para fora da pista ou invadir a contramão. Temos muitos acidentes assim na rodovias do Estado, não só nas federais, mas nas estaduais e municipais também. Todos serão investigados", garante o superintendente da PRF, Wylis Lyra.

> Donos de oficinas são presos acusados de adulterar eixos de carretas

As investigações revelaram que, até o momento,579 carretas foram adulteradas por essa quadrilha. Destas, 128 tiveram alterações / adulterações feitas na Bahia e 368 em Minas Gerais. No Espírito Santo,  quatro oficinas, duas em Viana, uma em Linhares e outra em Cachoeiro de Itapemirim eram responsáveis pelas adulterações. 

A OPERAÇÃO

Quatro pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira (21), em uma operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MP-ES). Eles fazem parte de uma quadrilha responsável por alterar o eixo de carretas no Espírito Santo, de forma que os veículos passavam a circular com limite de peso além do permitido por lei.

PRF e Gaeco cumprem mandado de prisão e de busca e apreensão contra um dos integrantes da quadrilha em um condomínio localizado em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha
PRF e Gaeco cumprem mandado de prisão e de busca e apreensão contra um dos integrantes da quadrilha em um condomínio localizado em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha
Foto: Kaique Dias/Gazeta Online

Na prática, segundo as investigações, os veículos tinham a capacidade de carga aumentada de forma clandestina e sem passar por diversos critérios e exigências dos órgãos de fiscalização, levando risco para as estradas federais e ocasionando acidentes. As modificações afetam partes importantes dos veículos, como freios, pneus e outros sistemas.

A ação, batizada de "Operação Raptores" tinha 36 mandados (15 de prisão e 21 de busca e apreensão) nos estados do Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais. Dos 15 mandados de prisão, dois não foram cumpridos: há um foragido no Espírito Santo e outro na Bahia.

VÍDEO: POLICIAIS CUMPREM MANDADO EM ITAPARICA

FOTOS DA OPERAÇÃO

Ver comentários