Notícia

"Perdi metade da minha vida", diz marido de diarista morta eletrocutada

A diarista Nathalia da Silva, 34 anos, morreu eletrocutada ao limpar a cozinha de um apartamento na Praia da Costa, em Vila Velha, na noite dessa quinta-feira (28).

Nathalia da Silva, 34 anos, morreu eletrocutada em Vila Velha
Nathalia da Silva, 34 anos, morreu eletrocutada em Vila Velha
Foto: Arquivo Pessoal

“A gente estava no melhor momento da vida. O que eu vou fazer sem a minha melhor amiga agora? Perdi metade da minha vida sem a Nathalia. Ela era minha parceira em tudo. Não sabia fazer nada sem ela.”

O lamento é do repositor de frios Jacques Nunes França, 40 anos, marido da diarista Nathalia da Silva, 34. Ela morreu eletrocutada na cozinha de um apartamento localizado no Edifício Saint Patrick, na Praia da Costa, em Vila Velha, dessa quinta-feira (28).

O casal e os filhos viajariam nesta sexta-feira (1) à noite para a casas dos tios da diarista, em Iconha. De acordo com a Polícia Civil, a mulher lavava o chão da cozinha quando teria encostado no acendedor automático do fogão e recebido a descarga elétrica. O chão molhado poderia ter contribuído para que a descarga fosse ainda mais forte. Nathália e Jacques estavam juntos há 6 anos. Os dois têm um filho de 4 anos. Frutos de um relacionamento anterior, Nathalia deixou uma filha de 18 anos e dois filhos de 7 e 17 anos.

Prédio onde diarista morreu eletrocutada em Vila Velha
Prédio onde diarista morreu eletrocutada em Vila Velha
Foto: Fernando Madeira

“Meu filho de 4 anos ainda não sabe o que aconteceu. Para ele, a mamãe pode voltar a qualquer momento. Vou cuidar para que ele tenha somente as melhores lembranças dela. Não quero que ele venha ao velório ou que veja a mãe dele nesse momento”, disse o marido, durante o velório da diarista realizado nesta sexta-feira (01) no bairro São Torquato, em Vila Velha.

O sepultamento dela será neste sábado (02) no cemitério Parque da Paz, no mesmo município. O repositor  contou que está de férias. Nesse período, sempre levava e buscava a mulher no trabalho. Na quinta-feira, ele foi ao edifício com a mãe, que tem 70 anos.

Leia também

“Liguei 16 vezes e ela não atendia. Minha mãe também tentou ligar umas três ou quatro vezes. Pedi o porteiro para interfonar e ele pediu que eu entrasse pois havia acontecido algo com minha mulher. Deus me deu forças e eu subi. Quando cheguei, vi que estavam tentando reanimá-la. Eu só sabia chorar. Não quis mais ver nada.”

Jacques acredita que a mulher tenha sofrido uma descarga elétrica enquanto limpava a cozinha do apartamento. “Não sou perito, mas sei que ela tomou uma descarga elétrica ao esbarrar em um botão do fogão. Não sei se estava suada ou molhada”. Ele informou que a mulher trabalha no edifício há dois anos.

Amigo da família, o pintor Analberto Frontini, 49, disse que Nathalia era uma mulher muito querida e especial. "Ela era adorada por todos na família e também no trabalho dela. Nathalia era muito trabalhadora, adorava o marido, os filhos e curtir a família. O que aconteceu foi uma fatalidade. Deus sabe das coisas, mas é muito triste passar por tudo isso e perder alguém tão especial como a Nathalia era para todos", disse Analberto.

O titular do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado José Lopes, informou que o caso será encaminhado para a Delegacia Especializada em Acidentes de Trabalho na quinta-feira (07). “O laudo cadavérico vai indicar a causa da morte. A investigação e perícia apontam que a morte foi por eletrocussão”, disse o delegado.

 

 

Ver comentários