Notícia

Polícia Civil julga Processo Disciplinar contra Hilário Frasson

O processo vai apurar furto de uma quantia de R$ 5,8 mil, ocorrido na assessoria técnica da Polícia Civil, onde o acusado trabalhava

Hilário Frasson foi apontado pela Polícia Civil como um dos mandantes do assassinato de sua ex-mulher, a médica Milena Gottardi
Hilário Frasson foi apontado pela Polícia Civil como um dos mandantes do assassinato de sua ex-mulher, a médica Milena Gottardi
Foto: Fernando Madeira

O policial civil Hilário Frasson, acusado de mandar matar a ex-mulher, a médica Milena Gottardi, vai ser julgado em Processo Administrativo Disciplinar (PAD) na manhã desta quarta-feira (5). O processo vai apurar um furto de uma quantia de R$ 5,8 mil, ocorrido na assessoria técnica da Polícia Civil, onde o acusado trabalhava. 

> "Eu te amo", escreveu Hilário para Milena no dia do crime

A informação sobre o processo foi publicada pelo Diário Oficial na última quinta-feira (30). O furto teria ocorrido no dia 16 de maio, quatro meses antes do assassinato de Milena. Por meio de nota, a polícia reforçou que o julgamento não tem relação com o homicídio que vitimou a médica. 

SALÁRIO

Mesmo preso, Hilário continua recebendo salário de quase R$ 5 mil. As informações, disponíveis no Portal da Transparência do Espírito Santo, mostram que no mês de maio o policial civil recebeu o salário líquido de R$ 4.402,90. Em abril, Frasson recebeu quase o dobro, R$ 8.141,69 sendo dois subsídios no valor de R$ 5.103,84 - sem incluir descontos. 

> "Quero que Hilário perca o poder de pai", diz irmão de médica

Procurada pelo Gazeta Online para esclarecer as informações do Portal de Transparência, a Polícia Civil comentou que o servidor somente deixará de receber o subsídio quando for julgado e houver condenação, ou por meio de uma determinação judicial.

Ver comentários