Notícia

Prefeito barrado tenta manobra para assumir em Fundão

Anderson Pedroni quer que a Câmara volte a analisar as suas contas de 2011, já reprovadas

Anderson Pedroni e Eleazar Ferreira posaram para foto após a posse, no domingo
Anderson Pedroni e Eleazar Ferreira posaram para foto após a posse, no domingo
Foto: Reprodução / Facebook

Mais votado na eleição para prefeito de Fundão, mas com candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, Anderson Pedroni (PSD) quer que a Câmara municipal vote novamente as contas de 2011, que foram rejeitadas pelos vereadores e levaram o ex-prefeito a ser barrado.

Pedroni alega que o julgamento anterior, realizado em 2015, teve motivação política e suprimiu prazos para defesa. Na época, foram abertos dez dias. Para o ex-prefeito, deveriam ser 30.

Um membro do partido de Anderson Pedroni protocolou ontem na Câmara um processo pedindo a nulidade do ato administrativo que concedeu dez dias para o prefeito se manifestar no julgamento das contas, a nulidade de todo o processo e, ainda, a abertura de pelo menos mais 15 dias para apresentação de defesa.

“Uma vez que esta matéria processual ainda não foi discutida e julgada pelo Poder Judiciário, com trânsito em julgado, cabe à Câmara Municipal de Fundão rever e anular seus próprios atos, quando eivados de vícios que os tornam ilegais”, diz o documento assinado por Rosoildo Pereira (PSD), aliado de Pedroni.

Nesta nova legislatura, o pedido pode ser aprovado na Câmara. O grupo de Pedroni é maioria entre os 11 vereadores da cidade. Inclusive, o presidente da Câmara, Eleazar Ferreira Lopes (PCdoB), que se tornou prefeito interino enquanto permanece o imbróglio judicial, é aliado do ex-prefeito.

“Temos provas para apresentar. A gente acredita que vai solucionar essa alegação de que houve suplementação sem autorização da Câmara. Caso não seja reconhecida a documentação a ser apresentada, eles podem reprovar as contas. Esse processo não quer dizer que vão aprovar. Eles podem não reconhecer”, comentou Anderson Pedroni.

A vereadora Ângela Coutinho (PV), que comanda interinamente a Câmara, disse, na tarde desta terça-feira, que ainda não havia tomado conhecimento da íntegra do pedido feito pelo PSD.

Irmã de Pedroni vira secretária de Saúde

De acordo com o prefeito interino de Fundão, vereador Eleazar Ferreira (PCdoB), já estão definidos cinco membros da equipe. Uma delas é Roberta Pedroni, irmã do ex-prefeito Anderson Pedroni. Ela vai comandar a secretaria municipal de Saúde. “Usei critério técnico para a escolha. É uma enfermeira formada, é do município”, disse.

Apesar das versões que circulam na cidade de que sua interinidade será conduzida pelo próprio Pedroni, Eleazar nega. Diz que agirá com independência. O único vínculo é, segundo ele, o plano de governo que está usando, elaborado pela coligação do qual ambos fizeram parte. Ontem, Eleazar afirmou que a situação do município é “caótica”.

Entenda o caso

Votação

Contagem

Anderson Pedroni (PSD) foi o candidato mais votado para prefeito de Fundão, na eleição de outubro, mas os votos dele não foram computados.

Barrado

Isso aconteceu porque a candidatura dele foi indeferida pela Justiça Eleitoral. O indeferimento ocorreu por ele ter sofrido rejeição de contas na Câmara, devido a um período em que foi prefeito interino, em 2011, e também por ter tido o mandato de vereador cassado, em 2012.

Revés

TRE

Pedroni já perdeu no Tribunal Regional Eleitoral, no ano passado, mas é necessário aguardar o resultado de recursos que move no Tribunal Superior Eleitoral.

Substituto

A Justiça chegou a determinar que o segundo colocado na eleição, Adriano Ramos (PMN), fosse diplomado prefeito de Fundão. O ato de diplomação, no entanto, acabou suspenso por decisão do TRE.

Provisório

Vereador

Como o imbróglio permanece, Fundão começou o ano sem conhecer seu prefeito. O presidente eleito da Câmara, Eleazar Ferreira, assumiu interinamente. Ele é aliado de Pedroni.

Ver comentários