Notícia

"Ladrão tem que ir para a cadeia mesmo", diz Lula em Cariacica

O petista voltou a desafiar Sérgio Moro e a Lava Jato

Lula no Ifes de Cariacica
Lula no Ifes de Cariacica
Foto: Marcelo Prest

O ex-presidente Lula (PT) voltou a afirmar, nesta terça-feira (05), que as principais realizações para incrementar o trabalho de combate à corrupção no Brasil foram feitas durante os governos do PT. Em discurso realizado no Ifes de Cariacica, o petista disse estar interessado no combate à corrupção e asseverou: "Na nossa opinião, ladrão tem que ir para a cadeia mesmo".

Para Lula, "90% das coisas que foram criadas para dar condições de combater a corrupção" foram feitas entre 2003 e 2014, período no qual governou duas vezes e foi sucedido pela correligionária Dilma Rousseff.

Leia também

"Combater a corrupção é muito necessário. Noventa por cento das coisas que foram feitas para criar condições de bater, de investigar corrupção, foram feitas de 2003 a 2014. Ninguém prendeu e afastou mais servidor publico do que nós, ninguém deu mais independência ao Ministério Público do que nós. Ninguém fez mais investimento na Polícia Federal do que nós", disse Lula, antes de concluir o raciocínio dizendo que lugar de ladrão é na cadeia.

O ex-metalúrgico também voltou a desafiar o juiz Sérgio Moro e investigadores do Ministério Público Federal e da Polícia Federal a provarem atos de corrupção cometidos por ele. Disse que os processos contra ele são, na verdade, processos contra as coisas que fez no governo.

"Não se preocupem com o que está acontecendo comigo. Vocês sabem que tenho nove processos. E posso dizer pra vocês de cátedra que o processo contra o Lula é o processo contra coisas que fizemos no governo. Estou desafiando Moro, o Ministério Público e a Polícia Federal a apresentar um centavo, não estou pedindo dois, um centavo... se eu cometi algum deslize nesse país", declarou.

Após Cariacica, Lula também discursou em Iconha. Em Cachoeiro de Itapemirim abraçou militantes e, em seguida, seguiu para o Estado do Rio de Janeiro. Ele realiza a caravana a bordo de um ônibus. 

Ver comentários