Notícia

Sindijornalistas repudia governo em episódio com colunista de A Gazeta

No posicionamento, sindicato ressaltou que esta não foi a primeira vez que Vitor Vogas teve matéria questionada pelo Governo do Estado

Tyago Hoffmann (PSB), secretário de Estado de Governo
Tyago Hoffmann (PSB), secretário de Estado de Governo
Foto: Letícia Gonçalves

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado (Sindijornalistas-ES) emitiu nota de repúdio ao Governo do Espírito Santo e de apoio ao colunista de Vitor Vogas, de A Gazeta, após episódio em que o governo divulgou nota afirmando que o jornalista teria publicado "informações distorcidas" a respeito de entrevista concedida pelo secretário Tyago Hoffmann. O título da coluna é Secretário de Casagrande: "Neste momento, não há aumento previsto".

No posicionamento, o Sindijornalistas ressaltou que esta não foi a primeira vez que Vitor Vogas teve matéria questionada pelo Governo do Estado. Veja nota na íntegra:

"O Sindijornalistas vem manifestar seu apoio e respeito ao trabalho desenvolvido pelo jornalista Vitor Vogas que, mais uma vez, teve uma de suas matérias questionadas indevidamente pelo Governo do Estado na figura do secretário de Estado, Tiago Hoffman.

Lamentavelmente o secretário de Estado, mesmo após ter concedido entrevista e posteriormente reafirmado suas declarações ao jornalista, de que o governo do Estado não concederia o direito constitucional da recomposição inflacionária este ano aos servidores, foi às redes sociais dizer que o jornal A Gazeta e o jornalista teriam distorcido as informações.

Fato esse rebatido pelo profissional que reafirma que sua reportagem foi fiel às declarações do secretário.

O governo do Estado, ao ir às redes sociais questionar indevidamente o trabalho de um profissional da imprensa mostra não apenas o desrespeito ao jornalista, mas contribui para reforçar uma era de desinformações propagadas por fake news, muitas delas, criadas pelos próprios governos.

Preocupa-se, que a postura do Governo seja de negar os direitos constitucionais, inclusive num enfrentamento com a imprensa, e divulgando informações inverídicas e imprecisas, ao justificar a não recomposição inflacionária devido a um acordo assinado pelo governo passado, sendo que o mesmo governo concedeu recomposição. Além disso, mostra-se incoerente ao usar trechos da lei para justificar a não recomposição, mas ignorar artigos da lei que proíbem, entre outros fatores, a criação de de novos cargos, como autorizado para o Ministério Público (MP-ES) e/ou a contratação de anúncios publicitários que não sejam de utilidade pública.

Reafirmamos assim o nosso apoio ao jornalismo ético, responsável e transparente, como desenvolvido pelo jornalista Vitor Vogas; o apoio aos servidores públicos estaduais que estão reivindicando, apenas um direito constitucional e nosso total repúdio ao Governo do Estado que desrespeita a atuação da imprensa e os seus servidores.

Diretoria do Sindijornalistas"

ENTENDA

O governo do Espírito Santo divulgou, na manhã desta quarta-feira (11), uma "Nota de Esclarecimento aos Servidores Capixabas", em referência à coluna Vitor Vogas publicada na noite de terça-feira (10) pelo Gazeta Online, por volta das 19 horas, e na edição desta quarta-feira do jornal A Gazeta. 

Segundo a nota do governo, A Gazeta teria publicado "informações distorcidas". Em vídeo que acompanha a nota, o secretário de Estado de Governo afirma que "a entrevista publicada não reflete com exatidão" aquilo que ele falou.

A Gazeta não publicou nem publica "informações distorcidas", e a coluna em questão reproduz fidedignamente a entrevista concedida pelo secretário.

Às 19h49 desta terça, após a publicação do conteúdo no Gazeta Online, Tyago Hoffmann entrou em contato com o colunista. Após reconhecer que a coluna estava "muito justa" com a sua entrevista, apontou um problema pontual no título e, respeitosamente, solicitou correção. O pedido foi reforçado pela assessoria de imprensa do secretário.

O colunista considerou o pedido pertinente e imediatamente foi feita a alteração tanto no título da coluna como na chamada de capa do Gazeta Online. Às 20h20, a coluna já estava no ar, com o título devidamente modificado: "Secretário de Casagrande: 'Neste momento, não há aumento previsto'".

Quanto ao teor da coluna – considerado correto pelo próprio autor da entrevista –, não foi pedida nem feita nenhuma modificação.

A Gazeta e o colunista Vitor Vogas reafirmam a veracidade de todo o conteúdo publicado. Também reiteram seu compromisso com um jornalismo correto, ético e confiável, o que pressupõe fidelidade absoluta às declarações e informações fornecidas por qualquer entrevistado. 

A Gazeta lamenta o expediente usado pelo governo do Estado e pelo secretário Tyago Hoffmann para contestar as informações.

> Santos Cruz critica polêmicas: 'Não pode atacar pessoas e familiares'

Ver comentários