Notícia

No ES, Alvaro Dias se diz otimista para enfrentar a corrupção

Pré-candidato do Podemos ao Palácio do Planalto veio ao Estado para apoiar Rose de Freitas

Alvaro Dias esteve em Cariacica e defendeu corte de 10% das despesas públicas
Alvaro Dias esteve em Cariacica e defendeu corte de 10% das despesas públicas
Foto: Fernando Madeira

Em reforço ao palanque da senadora Rose de Freitas (Podemos), o também senador e presidenciável do partido Alvaro Dias esteve no Estado e apontou a próxima eleição como "a mais importante da redemocratização", em que a população terá a oportunidade de estancar a corrupção.

Há mais de quatro décadas na gestão pública, Alvaro Dias atacou veementemente a classe política.

A política hoje está um caos. A corrupção está entranhada nos parlamentares, seja no Executivo, no Legislativo ou no Judiciário. Precisamos refundar a República, esse governo que é um balcão de negócios, de loteamento de cargos
Alvaro Dias - Pré-candidato do Podemos à Presidência

Ele transmitiu uma mensagem otimista à senadora e aos demais pré-candidatos pelo Podemos, reforçando a necessidade de promover mudanças, contudo, sem apresentar elementos práticos sobre como exatamente isso será feito.

Leia também

Ainda abaixo dos 5% nas pesquisas de intenção de voto, ele reconheceu que esta não será uma disputa fácil. 

"Posso não ser o candidato mais conhecido no Espírito Santo. Mas certamente nenhum anda bem acompanhado como ando aqui no Espírito Santo. Ao lado desses homens e mulheres liderados por Rose", disse.

ECONOMIA

Em uma rápida entrevista à imprensa no início da convenção, em Cariacica, o presidenciável disse que uma de suas primeiras medidas à frente do governo, se for vitorioso nas urnas, será cortar 10% das despesas públicas.

"É indispensável essa operação de guerra logo no início. Cuidando das áreas essenciais e cortando em áreas secundárias, para eliminar o déficit. Depois, farei outros ajustes estruturais, para que cada despesa tenha que ser justificada. Não há como atender os programas na saúde, na educação, se não sanearmos as contas", defende.

Ele também destacou o problema social dos 51 milhões de brasileiros que hoje vivem abaixo da linha da pobreza, atribuindo ao sistema de governo o agravamento das mazelas.

"Quem são os responsáveis por esse desastre? O povo não, nem o trabalhador ou o empresário. Os governantes é que fracassaram e nos empurraram para uma crise sem precedentes. Enganaram nosso povo. Disseram que estavam tirando da pobreza, mas estavam os empurrando para uma situação ainda pior", afirmou.

O vice de Alvaro Dias, anunciado na última quarta-feira (1º), será o ex-presidente do BNDES Paulo Rabello de Castro (PSC). Dias também conseguiu atrair o PRP para a coligação. Juntos, os três partidos contarão com 36 segundos de espaço no horário eleitoral de rádio e TV. É o mesmo tempo previsto para o candidato do PDT, Ciro Gomes.

Ver comentários