Notícia

Bolsonaro pode ficar afastado até a eleição, diz médico do ES

Recuperação do candidato à Presidência pelo PSL pode levar até um mês. Especialistas afirmam que tempo de repouso depende da área do intestino atingida

Jair Bolsonaro logo após ser esfaqueado em Juiz de Fora
Jair Bolsonaro logo após ser esfaqueado em Juiz de Fora
Foto: Reprodução

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) pode ficar cerca de um mês afastado da campanha eleitoral, após a facada que levou na região da barriga, durante um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira (6). A eleição está marcada para daqui a um mês, 7 de outubro.  

De acordo com o médico Michel Assbu, de Vitória, o período de repouso do paciente depende da área do intestino atingida, devido ao tempo que leva até poder fechar novamente a área operada.

> Ataque a Bolsonaro | A cobertura completa

"Se a perfuração foi próxima ao estômago, no início do (intestino) delgado, a quantidade de secreção é maior e a pessoa não pode se alimentar. Se foi mais próxima do intestino grosso, a quantidade de secreção é menor e, às vezes, com uma alimentação praticamente digerida, dá para comer. Caso seja no intestino grosso, a lesão é contaminada, por causa das fezes, e tem que colocar a bolsa", explicou. 

Leia também

A informação inicial era de que o ferimento havia sido superficial, mas exame indicou a suspeita de uma lesão no fígado. De acordo com informações da Globonews, os médicos constataram que não houve lesão no fígado, mas no intestino. O estado de Bolsonaro é considerado estável.

A facada sofrida por Bolsonaro atingiu a artéria mesentérica, que leva sangue da cavidade abdominal para o intestino, provocando diversas lesões na região, de acordo com reportagem de "O Globo". Durante a cirurgia, que costuma durar horas, os médicos controlam a hemorragia interna, mas novas infecções, que podem ocorrer até dias depois do incidente, não são descartadas.

O médico cirurgião Jesse Tabachi, de Vitória, explicou, no entanto, que não vê alta possibilidade de sequelas. "Se foi tudo corrigido na cirurgia, não tem por que ficar com sequela. Se não tiver complicação nenhuma, ele deve ficar cerca de 10 no hospital e mais um tempo em casa, afastado. Mas, depois, volta à vida normal", disse.

Ver comentários