Notícia

PT questiona Magno Malta por foto falsa de atentado contra Bolsonaro

Rosto de agressor do candidato foi incluído ao lado de ex-presidente Lula

Acima, a montagem que colocou rosto de Adélio ao lado de Lula. Embaixo, a foto original
Acima, a montagem que colocou rosto de Adélio ao lado de Lula. Embaixo, a foto original
Foto: Reprodução e Ricardo Stuckert

O PT apresentou nesta segunda-feira (10) do Supremo Tribunal Federal (STF) uma queixa-crime contra o senador Magno Malta (PR-ES), por calúnia e difamação. O partido questiona uma montagem, publicada pelo parlamentar na semana passada, que mostrava o responsável pelo atentado a faca contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) participando de um ato ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia também

A foto, no entanto, era falsa. O rosto de Adélio Bispo de Oliveira foi incluído em uma foto de maio de 2017, tirada durante uma manifestação do PT em Curitiba, no dia em Lula prestou depoimento pela primeira vez para o juiz Sergio Moro. Magno Malta publicou a montagem em sua conta no Twitter, e escreveu: "Olha em que time joga o marginal". Posteriormente, a publicação foi apagada.

De acordo com o PT, o senador "promove clara difusão de mensagem sabidamente inverídica no intuito de atribuir ao Partido dos Trabalhadores relação direta e de gerência sobre os atos do autor do atentado promovido em detrimento do candidato Jair Bolsonaro".

ENTENDA

O partido ressalta que "a falsidade da foto é evidente e, com um mínimo de cuidado, a foto verdadeira seria fácil de ser achada na internet".

O GLOBO entrou em contato com a assessoria de Magno Malta, mas ainda não teve retorno.

Ver comentários