Notícia

É falsa a inscrição sobre nordestinos em camisa de filho de Bolsonaro

A foto original, de outubro de 2016, não tem os dizeres. Flávio Bolsonaro não usou camisa com ofensa a nordestinos

Tarja Passando a Limpo Eleições

É montagem a foto em que Flávio Bolsonaro, filho do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, aparece usando uma camisa com a inscrição "Movimento nordestinos voltem para casa. O Rio não é lugar para jegue". Na foto, seu pai aparece ao fundo.

Leia também

A foto original, de autoria do site G1, foi tirada no dia 2 de outubro de 2016, primeiro turno das eleições municipais. Flávio chegava para votar no seu colégio eleitoral, na Escola Municipal Barão Homem de Mello, no Rio de Janeiro (RJ). Naquele ano, ele concorreu à prefeitura da cidade.

A checagem foi feita pelo projeto Comprova. Participaram, das diferentes etapas da verificação, jornalistas de GaúchaZH, Correio do Povo, Estadão, Gazeta do Povo, Folha de S. Paulo, Jornal do Commercio, UOL, O Povo, SBT, revista piauí, Poder360 e Gazeta Online.

É falsa a inscrição xenofóbica sobre nordestinos em camisa de filho de Bolsonaro
É falsa a inscrição xenofóbica sobre nordestinos em camisa de filho de Bolsonaro
Foto: Reprodução

Nenhum outro elemento além do falso escrito na camisa de Flávio foi alterado. Na imagem original, Flávio também estava acompanhado do pai.

Em sua conta no Twitter, Flávio publicou as duas versões da foto para mostrar a adulteração da imagem.

Foto publicada no G1 foi feita em 2016 quando o então candidato Flávio Bolsonaro chegava para votar em colégio na Tijuca.
Foto publicada no G1 foi feita em 2016 quando o então candidato Flávio Bolsonaro chegava para votar em colégio na Tijuca.
Foto: Fernanda Rouvenat /G1

O Comprova recebeu a sugestão de checagem da veracidade da imagem pelo WhatsApp do projeto. Uma publicação no Facebook com a imagem adulterada somou mais de 73 mil compartilhamentos desde que foi publicada, no dia 5 de outubro.

A verificação também foi feita pelo Fato ou Fake, do Grupo Globo, pela Agência Lupa e pelo site e-Farsas.

Ver comentários