Notícia

Câmara barra empréstimo que Max Filho queria tomar para obras

Por 11 votos a quatro, projeto proposto pela prefeitura foi rejeitado

Max Filho considerou os R$ 100 de auxílio-alimentação um "marco histórico".
Max Filho considerou os R$ 100 de auxílio-alimentação um "marco histórico".
Foto: Gazeta Online

A Câmara de Vila Velha rejeitou, nesta segunda-feira (08), um projeto de lei enviado pelo prefeito Max Filho (PSDB) que pretendia dar ao Executivo municipal uma autorização para contratar US$ 34 milhões em empréstimo junto ao Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata) para obras de infraestrutura nos bairros. 

Por 11 votos a quatro, os vereadores rejeitaram o projeto alegando que faltavam especificações técnicas e econômicas sobre as obras que seriam realizadas com o recurso e a respeito de como o empréstimo seria quitado.

A maioria acolheu um parecer da Comissão de Justiça da Câmara, presidida pelo vereador Heliossandro Mattos (PR). "A Câmara é favorável à operação de crédito, porém o projeto não estava acompanhado de relatório de impacto orçamentário, não tinha previsão no Plano Plurianual e não tinha a relação de ruas e bairros que receberiam as obras", afirmou.

O presidente da Casa, Ivan Carlini (DEM), negou que desavenças políticas tenham influenciado a decisão da maioria do plenário. No dia anterior, Max Filho havia sofrido uma derrota política ao não conseguir eleger seu vice-prefeito, Jorge Carreta (Avante), deputado federal.

"A Câmara até quer, mas tem que beneficiar toda a cidade. O prefeito, talvez com pressa, não citou todas as regiões. Só a região 5. O empréstimo tem cinco anos de carência. Como vai estar o dólar lá? A prefeitura pode ficar cheia de dívida", afirmou Carlini.

REUNIÃO

Na tradicional reunião política que realiza às segundas-feiras, o prefeito lamentou a decisão da Câmara. Disse que pode haver um prejuízo às futuras gestões por entender que abrir mão da operação de crédito faz com que o município seja preterido na lista de aptos a contratar o empréstimo.

Ver comentários