Notícia

Eleito, Bolsonaro diz que vai unir e pacificar o País

Com 57,7 milhões de votos, o 38º presidente eleito democraticamente no Brasil faz discurso de compromisso com a Nação: Sem eles contra nós ou nós contra eles

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Foto: Luciano Belford/Agência O Dia

Após ser confirmado como o 38.º presidente eleito democraticamente no País, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) fez um discurso à Nação de compromisso com a liberdade, com a Constituição e com reformas. “Liberdade de ir e vir, liberdade política e religiosa, liberdade de opinião”, disse Bolsonaro, cuja campanha foi marcada pelo antipetismo e uma retórica agressiva contra os opositores. O presidente eleito participou de uma oração antes de ler o discurso, marcado por citações bíblicas e a Deus. O pronunciamento durou 7min50s (leia a íntegra aqui).

Mais tarde, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, fez uma manifestação mais clara a favor de reunificação do País.

Vou buscar pacificar o nosso Brasil. Nós vamos pacificar. Sem eles contra nós ou nós contra eles. Nós temos como fazer políticas que atendam o interesse de todos.
Jair Bolsonaro, presidente eleito

Segundo Bolsonaro, a vitória vem "para mostrar que o eleitor brasileiro não é refém desse ou daquele partido. Vocês votaram no candidato do Brasil. Quando assumimos no ano que vem, serei o presidente de todos", afirmou.

O presidente da República Michel Temer disse acreditar que seu sucessor eleito neste domingo fará um governo de "muita paz e harmonia" e irá pacificar o País. "Tenho convicção de que ele fará um governo de muita paz e harmonia que é o que nosso País necessita", disse Temer no Palácio da Alvorada. Momentos antes, Temer havia telefonado para cumprimentar o capitão reformado pela vitória nas urnas, em uma conversa breve.

Após a vitória de Bolsonaro, o presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Dias Toffoli, também clamou neste domingo por um pacto nacional entre os diferentes Poderes e a sociedade civil. Toffoli pediu união e defende ambiente "sem ódio nem radicalismo".

Representantes do Itaú, Bradesco e Santander se manifestaram após a vitória de Bolsonaro nestas eleições - os presidentes de bancos cobram reforma e falam em união.

BOLSONARO VOLTA A FALAR NOS 'VALORES FAMILIARES'

Mesmo com o discurso mais leve, Bolsonaro voltou a fazer forte discurso em defesa da família e disse que a "família estará em primeiro lugar no Ministério da Educação". Segundo Bolsonaro, será deixado "de lado qualquer temática voltada para a ideologia ou para o desgaste dos valores familiares".

Bolsonaro também relembrou o percurso turbulento que enfrentou para vencer - disputa que começou, segundo ele, há três anos. "São quase três anos de muito sacrifício, mas também muito compensador, quando no final de tudo aquilo que plantamos, vem a vitória".

BOLSONARO QUEBROU PARADIGMAS DURANTE CAMPANHA

O candidato do PSL triunfou na disputa presidencial após quebrar tabus e romper paradigmas consagrados pelo marketing eleitoral. Trata-se do terceiro oficial do Exército brasileiro a ser eleito para o cargo.

Bolsonaro foi eleito ao derrotar no segundo turno o candidato do PT, Fernando Haddad. Aos 63 anos, Bolsonaro chegou ao posto máximo da República apoiado por 57,7 milhões de eleitores, que lhe deram cerca de 55% dos votos válidos, ante 44,8% (47 milhões de votos) alcançado pelo presidenciável petista.

Ver comentários