Notícia

Sem rotativo, flanelinhas dominam vagas em Cachoeiro de Itapemirim

Coagidos, moradores reclamam que pagam para estacionar em vagas públicas, com receio de ter o veículo danificado

Desde que o sistema de estacionamento rotativo foi suspenso em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, as vagas em pontos centrais da cidade se tornaram alvo da disputa de flanelinhas. Coagidos, moradores reclamam que pagam para estacionar em vagas públicas, com receio de ter o veículo danificado.

Considerado inconstitucional pela Justiça, o estacionamento rotativo foi suspenso em 24 de março de 2016 e os flanelinhas apareceram nas vagas da Linha Vermelha, rua Brahim Seder, Avenida Beira Rio e outros pontos centrais.

“Toda vez que a gente para o carro aqui, alguém vem cobrar alguma coisa, às vezes se sente até com medo. Pode fazer algo no carro se não pagar né?”, afirmou o vendedor Chernoves Loiola.

Apesar de ilegal, a atividade continua sendo praticada. Os próprios flanelinhas sabem da situação. “É ilegal, agente sabe. Se o pessoal da prefeitura vir e falar tem que sair, eu pego meu papelão e vou embora. Agente ajuda Cachoeiro e também quer ser ajudado”, afirmou um dos flanelinhas.

Sem previsão de rotativo

Diante do problema, a prefeitura, por meio da Guarda Municipal fez um levantamento para saber quantas pessoas estão pelas ruas da cidade cobrando pelas vagas públicas, e principalmente, reforçando que a cobrança por vaga é crime. A ação começou em janeiro e segundo a prefeitura, continua por tempo indeterminado.

Sobre o rotativo, a prefeitura informou que está realizando estudos para que seja implantada uma nova legislação referente ao estacionamento rotativo. Não há previsão de quando o sistema será implantado na cidade.

Denuncia

Motoristas que se sentirem ameaçados podem acionar a Polícia Militar, pelo 190 ou denunciar à Guarda Municipal é o 153.

Ver comentários