Notícia

Vídeo de soldado do Exército chutando gambá causa revolta no Sul do ES

Ele estava no Quartel quando o animal apareceu no pátio

Agressão foi filmada no quartel do Exército em Cachoeiro
Agressão foi filmada no quartel do Exército em Cachoeiro
Foto: Reprodução/Gazeta Online

O vídeo de um soldado do Exército chutando um gambá em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, está causando revolta nas redes sociais (veja abaixo). Toda a agressão foi filmada por um colega que estava no quartel, localizado no bairro Ibitiquara. O soldado faz parte do Tiro de Guerra, instituição militar do Exército Brasileiro encarregada de formar atiradores.

Nas imagens é possível ver quando o animal aparece em um canteiro que fica no jardim do quartel. O militar vai até o local agride o gambá com um objeto e, em seguida, começa a chutá-lo. No segundo chute o gambá é lançado do lado de fora do imóvel, mas retorna para o pátio. O soldado e o colega, que filma a cena, caem na gargalhada. Em seguida, o vídeo é encerrado.

Revolta

Uma internauta, que preferiu não se identificar, espera que os envolvidos sejam punidos. "É um absurdo. Pelo vídeo dá para ver que o gambá não faz nada. Ele esta lá e o rapaz foi até induzido pelo colega que estava filmando. Eu espero que eles recebam uma punição”, disse.

"Uma pessoa que chuta repetidas vezes um gambá por prazer e se diverte com isso não pode ser normal. Coitado do bicho. Se a presença dele incomodava, podia espantá-lo apenas. O objetivo ali era fazer maldade, a crueldade por si só", lamentou outra internauta

O outro lado

Procurado pela reportagem do Gazeta Online, o chefe de instrução do Tiro de Guerra, subtenente Menuzzi, informou, por meio de nota, que a agressão do soldado ao animal foi um fato isolado e que não traduz os valores de ética, moral e cidadania ensinados pelo Tiro de Guerra, instrumento de educação e civilidade. Segundo Menuzzi, o soldado envolvido já foi identificado, se sente muito arrependido e lamenta o fato.

Ainda segundo Menuzzi, será aberta uma sindicância para apurar o ocorrido, bem como serão tomadas as devidas medidas disciplinares.

Por fim, Menuzzi afirma que o Tiro de Guerra não compactua com a atitude infeliz do soldado, e está sempre pronto para ajudar a sociedade cachoeirense no que for preciso.

Ver comentários