Notícia

Uniaves tem 15 dias para explicar vazamento de produto químico dentro de Rio

O Iema ainda determinou a limpeza imediata da área afetada

Foto: Divulgação/Facebook

O Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) estipulou um prazo de 15 dias para a Uniaves, responsável pelo acidente que provocou a contaminação com produtos químicos do Rio Castelo, em Cachoeiro, apresentar um relatório para explicar o caso.

A contaminação aconteceu na no fim de semana, mas mas, na manhã desta terça-feira (31) ainda é possível ver uma espuma no tom alaranjado no rio. Os peixes mortos estão boiando nas águas, e o mau cheiro se espalha na região. 

No mesmo dia do acidente, técnicos do Iema rastrearam a contaminação e chegaram à conclusão de que o despejo foi feito pela Uniaves, sediada no distrito de Aracuí, em Castelo. A substância é utilizada para tratamento de efluente. 

A dona de casa Patrícia Ponticeli mora bem próximo do Rio Castelo e disse que o gato de estimação da família passou mal após comer um dos peixes que morreram. “Ontem tinha um monte de peixe morto aqui, meu gato até comeu e passou mal. Essa noite foi difícil de dormir de tanta catinga”, contou.

O abastecimento de água chegou a ser interrompido na região, mas foi normalizado em seguida. O Iema disse que determinou de forma imediata que a empresa realizasse a contenção e a limpeza de toda a área. Além disso, a Uniaves tem um prazo de 15 dias para apresentar um relatório completo do acidente. A multa ainda será calculada.

EXPLICAÇÃO DA UNIAVES

O diretor presidente da Uniaves, Aderval Casagrande, disse que a empresa, assim que soube do problema, se colocou à disposição dos órgãos ambientais para esclarecer todos os fatos. Disse ainda que a empresa vai entregar o relatório pedido pelo Iema o mais rápido possível.

Leia a nota da empresa na íntegra:

A Uniaves, empresa sediada em Castelo/ES, em respeito à sociedade em geral, vem a público reafirmar seu compromisso e responsabilidade com a gestão ambiental e sustentável. Informamos que, tão logo a anomalia em nosso sistema de tratamento de efluentes foi detectada, comunicamos ao Órgão Ambiental Estadual (IEMA) e solicitamos a presença de seus técnicos, sendo imediatamente atendidos.

Os fatos decorrentes da investigação em conjunto com o IEMA, Polícia Ambiental, Secretaria do Meio Ambiente de Castelo, Secretaria do Meio Ambiente de Cachoeiro e Equipe da Uniaves, demonstraram fuga de produto usado regularmente no tratamento de efluentes (cloreto férreo), ocasionado por um rompimento em uma das tubulações do nosso sistema.

Em consulta à ficha de informação de segurança de produto químico fornecida pela empresa Bauminas, constatamos que a mortandade de peixes ocorrida foi ocasionada pela redução do pH da água do Rio Castelo, próximo à unidade.

A empresa seguirá rigorosamente as determinações dos órgãos ambientais em questão e agregará novos procedimentos de segurança aos seus processos sob a supervisão de empresas especializadas em projetos ambientais.

Lamentamos e nos desculpamos pelo ocorrido, reafirmando uma vez mais nosso compromisso com a sociedade.

 

 

Ver comentários