Notícia

Mustang não tem falsa modéstia

Aos 54 anos e 10 milhões de unidades vendidas, ele não cansa de chamar atenção por onde passa

Antes de ser importado pela Ford, modelo que estrelou vários filmes de Hollywood já tinha duas mil unidades registradas no país
Antes de ser importado pela Ford, modelo que estrelou vários filmes de Hollywood já tinha duas mil unidades registradas no país
Foto: ford/divulgação

 

 

Poucos veículos conseguiram ter o carisma que o Mustang conquistou. O icônico modelo da Ford, que nos últimos três anos tornou-se o esportivo mais vendido do mundo, acaba de completar 10 milhões de unidades emplacadas ao longo de seus 54 anos de existência.

Em abril deste ano, quando os primeiros exemplares da sexta geração chegaram às concessionárias nacionais, havia em torno de 250 compras antecipadas confirmadas. Isso para um modelo vindo dos Estados Unidos em versão única, com um preço sugerido que está longe de ser barato: R$ 299.900.

Leia também

A verdadeira “joia da coroa” está sob o vasto capô: um 5.0 V8 aspirado, chamado pela marca de Coyote, gerenciado por um câmbio automático de 10 marchas. Ele é capaz de gerar 466 cavalos a 7 mil rpm e 56,7 kgfm de torque a 4.600 giros. Tem bloco em alumínio e conta com sistema de injeção de combustível dupla – é direta para altas rotações, para oferecer melhor performance, e indireta para rotações mais baixas, para permitir economia e suavidade.

O câmbio, a direção, o painel, o acelerador eletrônico, a suspensão, o ABS, o controle de estabilidade e até o ruído do escape são alterados, de acordo com o modo de condução escolhido. São seis configurações prévias: Normal, Esportivo, Esportivo+, Pista, Drag e Molhado. Há ainda um modo chamado My Mode, que permite ao motorista combinar livremente os recursos.

A versão exportada para o Brasil é a mais sofisticada do line up do modelo. Entre os equipamentos, destacam-se controle de tração e estabilidade, monitoramento de fadiga, alerta de ponto cego, câmera de ré com sensor de obstáculos e recursos de direção semiautônoma, como farol alto automático, controle de cruzeiro adaptativo, sistema de monitoramento de faixa, alerta de colisão e sistema de monitoramento de pedestres. Além desses recursos, o Mustang traz ar-condicionado digital, sistema multimídia Sync 3 com controle por voz, GPS e conexão com Android Auto e Apple CarPlay.

EXPERIÊNCIA

Pisar fundo no acelerador é uma experiência difícil de esquecer. Os 466 cv movem os 1.780 kg do cupê com impressionante facilidade. Conforme o carro acelera, dá para perceber as costas gradualmente afundando no banco de couro. Segundo a Ford, o 0 a 100 km/h é feito em 4,3 segundos; e a máxima é limitada eletronicamente em 250 km/h.

O câmbio automático de dez velocidades é bastante eficiente, sem buracos nas acelerações ou retomadas. E o modo manual ajuda a tornar a experiência ainda mais divertida. De uma maneira geral, a ergonomia beira a perfeição.

O chassi tem ótima rigidez, e o equilíbrio do modelo impressiona. Nas retas e em altas velocidades, o Mustang não exibe sinais de flutuação. Nas curvas, o conjunto suspensivo bem equilibrado dá conta do recado, com ou sem o auxílio do controle de tração e dos demais sistemas de segurança. (Agência Automotrix)

 

 

Ver comentários