Notícia

Onix Ltz reúne melhores atributos do veículo mais vendido do Brasil

Veículo tomou a liderança em 2015 e bateu, em agosto, o recorde de vendas em toda a sua história, com 21.763 emplacamentos.

Onix
Onix
Foto: chevrolet/Divulgação

Quando o Onix foi lançado no Brasil, em 2012, poucos apostariam que aquele hatch de aspecto robusto desbancaria os compactos bons de venda da época, Gol e Palio, e se tornaria o mais vendido do país. Tomou a liderança em 2015 e bateu, em agosto, o recorde de vendas em toda a sua história, com 21.763 emplacamentos.

Embora a versão aventureira Activ seja a mais cara, por conta da estética “off-road”, a bem equipada LTZ ostenta a sobriedade, uma das marcas da linha. Por isso, cumpre a função de expressar o que o Onix tem de melhor.

Leia também

Em maio, foi apresentada a linha 2019, com mudanças discretas. Entre as novidades, os faróis da versão LTZ passaram a ter lâmpadas Blue Vision, para melhorar a visibilidade do motorista. Colunas centrais do veículo são revestidas em preto, mesmo tom adotado nas rodas diamantadas de liga leve aro 15.

Dentro, a versão ganhou revestimentos para os bancos em material mais requintado nas áreas de contato e quadro de instrumentos com iluminação de leds brancos.

Quem viaja no lugar central do banco traseiro passou a ter cinto de três pontos e encosto de cabeça. Além disso, o sistema multimídia MyLink, compatível com Android Auto e Apple CarPlay, agora tem câmera de ré. Entre as novidades citadas, nada tão chamativo, mas o bastante para manter o modelo atualizado em relação à concorrência.

 A central multimídia, que  tem  7 polegadas,  agora é equipada com câmera  traseira
A central multimídia, que tem 7 polegadas, agora é equipada com câmera traseira
Foto: Chevrolet/Divulgação

O motor 1.4 SPE/4 de quatro cilindros e oito válvulas continua o mesmo. É bicombustível e entrega 98 cv a gasolina e 106 cv com etanol a 6 mil rpm e torque de 13 kgfm com gasolina e 13,9 kgfm com etanol a 4.800 rpm. De acordo com o Inmetro, a versão faz 11,7 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada, quando abastecido com gasolina. O câmbio é automático de seis marchas. As trocas podem ser acionadas pelo motorista em modo sequencial por um botão na alavanca do câmbio.

O Onix LTZ 1.4 automático está longe de ser um compacto barato – é oferecido por R$ 64.450. Mas o preço é equivalente ao dos concorrentes com configurações mecânicas e níveis de equipamentos similares.

A BORDO

A vida a bordo da versão LTZ é bem confortável para o que se espera de um hatch compacto. O acabamento é digno, e as peças bem encaixadas. Por dentro, existe lugar de sobra para quatro adultos – um quinto passageiro até cabe, mas comprometeria o conforto a bordo.

Não é difícil encontrar uma boa posição para dirigir, embora a coluna de direção tenha apenas regulagem de altura. A ergonomia é quase sempre correta. O motorista pode achar com facilidade os acionamentos das funções de comportamento do veículo e dos sistemas de entretenimento e interatividade.

Um comando mal posicionado é o do ajuste dos retrovisores externos, que fica na coluna frontal e obriga o motorista a deixar sua posição normal para acioná-lo, além dos botões de vidros e do puxador das portas, que é baixo demais.

O OnStar continua a ser um diferencial importante, que oferece o sistema de telemática como cortesia por um ano nesta versão – posteriormente, cobra mensalidade de R$ 80.

A direção elétrica é progressiva, bem balanceada e continua a ser um dos destaques. Em manobras, tudo bem leve. Em velocidades mais elevadas, o sistema se torna mais firme e preciso. Não houve mudanças mecânicas na linha 2019. Mas, o câmbio automático de seis velocidades tem uma atuação bem correta. As trocas de marchas ocorrem com transições sutis, sempre na hora certa e sem solavancos.

Em resumo, o Onix LTZ automático é um hatch agradável de dirigir. As retomadas contribuem para ultrapassagens mais tranquilas. Para complementar, o rolamento da carroceria é baixo, e o compacto da Chevrolet contorna as curvas com firmeza. O conjunto suspensivo aumenta a estabilidade nos trechos sinuosos em altas velocidades.(Agência Automotrix)

MODELOS SUPERIORES ENTRE OS MAIS EMPLACADOS NO ESTADO

O mês de agosto foi de quebra de recordes não só para o Onix, mas para toda a indústria automotiva. Segundo a FENABRAVE – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - o total de emplacamentos, no último mês, foi 14,91% maior do que o registrado em julho, somando 352.432 unidades, contra 306.708 do mês anterior. Este é o recorde de vendas durante o ano de 2018.

Em relação a agosto do ano passado, quando 305.262 unidades foram vendidas, a alta foi de 15,45%. As 2.350.661 unidades comercializadas nos primeiros oito meses deste ano representaram crescimento de 13,2% sobre igual intervalo do ano passado, quando 2.076.635 veículos foram emplacados.

OS MAIS QUERIDOS

Em todo o Brasil, o Onix teve 21.763 emplacamentos. Vendeu mais que o dobro do segundo colocado, o Hyundai HB20, que emplacou 10.589 unidades. O Ford Ka ficou em terceiro lugar com 10.118, o Volkswagen Gol em quarto, com 6.628, e o Polo em quinto, 6.544 exemplares vendidos.

Do sexto ao décimo, respectivamente, estão, Renault Kwid (6.273), Fiat Argo (6.166), Chevrolet Prisma (6.119), Jeep Compass (5.800) e Hyundai Creta (5.277).

GOSTO CAPIXABA

O grande destaque na lista de mais vendidos no Espírito Santo é a quantidade de veículos acima de R$ 70 mil nos 10 primeiros lugares, o Corolla, o Creta e o Yaris.

Assim como no restante do Brasil, o Chevrolet Onix saiu na frente, com 274 veículos emplacados no Estado, durante o mês de agosto e o Hyundai HB20 em segundo, com 195. No terceiro lugar, no entanto, está o sedã médio Toyota Corolla, que teve 177 unidades comercializadas. Depois vem o Fiat Mobi, com 141, o Ford Ka, com 122 e, em sexto, outro modelo de maior padrão, o Hyundai Creta, com 122 carros.

Depois, vem o Volkswagen Gol, com 119, o Jeep Compass, com 111, o Chevrolet Prisma, com 107, e, em décimo, o novato Toyota Yaris hatch, com 106 carros emplacados.

 

 

Ver comentários