Notícia

Honda prepara Accord para concorrer com sedãs premium

O objetivo da montadora japonesa é subir o seu sedã de patamar, agora ocupando o segmento premium executivo

Foto: Divulgação

Lançado nos EUA nos anos 70, e primeiro veículo comercializado pela Honda no Brasil, em 1992, o Accord chega a sua 10ª geração com reformulação no visual, na mecânica e no conforto. O objetivo da montadora japonesa é subir o seu sedã de patamar, agora ocupando o segmento premium executivo, ao lado de opções, como o Volkswagen Passat, o Mercedes C 180 e o BMW Série 3.

O novo designer tem uma frente mais curta e linhas na carroceria, que somadas à curvatura dinâmica, remetem a movimento. Todo o conjunto de luzes é em LED. O carro também ganhou rodas de liga leve de 18 polegadas com desenho exclusivo, e teto solar.

Leia também

Novidades também debaixo do capô. O sedã vem com um inédito motor 2.0 Turbo com injeção direta, comando de válvulas VTEC e duplo VTC, em conjunto com uma transmissão automática de 10 velocidades, a primeira do tipo para um carro com tração dianteira, e que maximiza o desempenho e consumo de combustível. Já o porta-malas tem 574 litros (68 a mais que a geração anterior).

TECNOLOGIA

No interior, a palavra que descreve o Accord é modernidade. O modelo marca a chegada da tecnologia Honda Sensing ao Brasil, um pacote de equipamentos de segurança e assistência de direção, composta por uma câmera posicionada no topo do para-brisas e um sistema de radar, localizado na grade frontal. Com a detecção de objetos pelo radar e o seu reconhecimento pela câmera, o sistema auxilia o motorista na prevenção de acidentes.

Assim, o sedã oferece controle de velocidade de cruzeiro, assistente para permanência em faixa e frenagem de emergência. O modelo vem dotado de oito air bags, sendo dois de joelhos.

O novo Accord ganhou lanternas em formato de bumerangue e central multimídia com tela flutuante
O novo Accord ganhou lanternas em formato de bumerangue e central multimídia com tela flutuante
Foto: Divulgação

TEST DRIVE

Para desbravar uma categoria superior dos sedãs executivos, o novo Accord fez o dever de casa. A tecnologia Honda Sensing chama a atenção na estrada por proporcionar nova experiência de condução.

A alavanca do câmbio foi substituída por um seletor de marchas eletrônico. As posições Park, Neutro e Drive são selecionadas por botões, permitindo mais espaço na cabine. Motorista e passageiro se sentem mais centralizados no painel.

A tecnologia encanta, mas se torna incômoda em certas situações. No trânsito urbano, o alerta de colisão lateral é acionado sempre que uma moto passa ao seu lado, algo recorrente a cada 5 segundos no trânsito de São Paulo, onde realizamos o teste. Desativar o sistema não é tão intuitivo.

O câmbio de 10 velocidades faz trocas rápidas e suaves, e pode reduzir até quatro marchas de uma vez. O motor 2.0 Turbo fornece 256 cv a 6.500 rpm e 37,7 kgfm de torque entre 1.500 e 4.000 rpm, e responde imediatamente em acelerações e retomadas e entrega uma condução empolgante. O consumo médio do trajeto feito durante o teste foi de 9,4km/l.

A distância entre eixos cresceu cinco centímetros e meio, deixando a cabine ampla e com 4,8 centímetros extras de espaço para as pernas de quem viaja atrás.

O Accord está disponível em quatro combinações de cores externas e internas: branco (interior Marfim), prata (interior Preto) e preto (com opções de interior cinza ou preto). O modelo fica disponível em versão única Touring por R$ 198.500,00.

Repórter viajou a convite da Honda

Ver comentários