Notícia

Conheça os segredos do Toyota Corolla, o rei entre os sedãs

Testamos a versão preferida do carro mais vendido no mundo

Modelo agora é equipado com controle de tração e estabilidade
Modelo agora é equipado com controle de tração e estabilidade
Foto: paula gama

O Toyota Corolla é, certamente, um dos maiores fenômenos de vendas do mundo automotivo. O carro mais vendido do mundo, que parte de R$ 90.990 no Brasil, foi o sexto mais vendido no país, no último mês, e o segundo no Espírito Santo, brigando com modelos populares.

Para confirmar o que é que o Corolla tem, testamos a versão intermediária XEi, que custa R$ 105.990 e é a preferida do público.

Leia também

Para começo de conversa, é bom lembrar que apesar de abocanhar 40% do segmento, o sedã da Toyota não é nem o mais tenológico, nem o mais barato entre os concorrentes. Entre os principais motivos está a boa fama de “carro que não quebra”.

No tira-teima o principal predicado desta versão do Corolla está abaixo do capô. O consagrado motor 2.0 VVTi quatro cilindros aspirado, de 154 cv de potência máxima e 20,7 kgfm de torque, tem bom fôlego nas saídas e retomadas. Quem também tem um bom desempenho é a transmissão CVT com sete marchas simuladas, com trocas suaves e na hora certa, que fogem à regra dos câmbios continuamente variáveis do mercado. A condução do Corolla poderia ser resumida em uma palavra: tranquilidade. Você sabe que tem um motor forte para quando precisar.

O consumo não surpreende, fica dentro do esperado para um carro 2.0. Com gasolina, fizemos 7,4 km/l na cidade e 11 km/l na estrada.

A suspensão é adequada ao seu perfil de cliente conservador, que tem o conforto e não a performance como foco. É macia na medida certa. Dentro do carro, os passageiros não sentem muitas trepidações do solo. No interior, também há conforto, os bancos são em couro e alguns detalhes no painel são macios ao toque. Com 2,70 m de entre-eixos, há espaço para cinco pessoas viajarem com tranquilidade, mas não há saída traseira para o ar-condicionado. O porta-malas tem 470 litros.

Porta-malas de 470 litros é  adequado  para a  categoria
Porta-malas de 470 litros é adequado para a categoria
Foto: Paula Gama

No entanto, não espere por uma cabine moderninha. O tradicional relógio central - para o qual muitos torcem o nariz - continua no centro do painel, dando um ar um tanto vintage. Há tomada 12V e entradas USB e auxiliar.

EQUIPAMENTOS

O grande diferencial desta linha do Corolla é o controle de tração e estabilidade, que dá mais seguranças em curvas. O equipamento já estava presente há algum tempo em seus concorrentes.

De série, a versão XEi traz sete air-bags, luz diurna de LED, ar-condicionado digital, vidros e retrovisores elétricos, retrovisor interno eletrocrômico, computador de bordo, partida por botão, destravamento das portas por sensores, piloto automático e câmera de ré. A lista de equipamentos é um pouco enxuta em relação aos outros sedãs médios do mercado, que têm itens de direção semiautônoma. A central multimídia está um pouco ultrapassada, tem tela de 7”, mas o sistema é lento e não compatível com Android Auto e Apple Car Play.

A conclusão é que a razão de o Corolla vender muito está no seu equilíbrio. É um carro ‘forte’, com boa mecânica, conforto e que agrada a um público grande, de famílias a executivos. Não surpreende em tudo, mas também não deixa a desejar.

Ver comentários