Notícia

Conheça os principais cuidados com os carros em áreas de alagamento

Saiba o que fazer antes, durante e depois de a água da chuva começar a subir

Se a água  passar do meio da roda, é preciso procurar um lugar mais alto, como uma calçada, e esperar baixar
Se a água passar do meio da roda, é preciso procurar um lugar mais alto, como uma calçada, e esperar baixar
Foto: Ricardo Medeiros

Normalmente, as chuvas do fim de março costumam alagar várias regiões da Grande Vitória. O problema é que, muitas vezes, a previsão não é certeira, e elas pegam todo mundo de surpresa. Quando a água começa a subir, vem o desespero de não saber o que fazer e algumas questões passam pela cabeça do motorista. É importante lembrar que os carros não são projetados para passar por terrenos com água, e arriscar pode colocar a vida útil do automóvel em risco.

Quando as chuvas se intensificarem, e o motorista perceber que o local onde ele está vai alagar, o consultor técnico da Vicar Centro Automotivo, Hudson Marvilla, recomenda que o dono do veículo deixe o local antes do alagamento acontecer. Mas, caso não tenha escapatória, ele recomenda desligar o motor e esperar a água abaixar.

DURANTE

O piloto e consultor em trânsito, Rodrigo Marcheschi, ressalta que a segurança precisa estar em primeiro lugar nessas situações. Se o local onde o carro está já estiver alagado, antes de avançar, é preciso determinar a profundidade da água.

“Se estiver passado do meio da roda, é melhor estacionar e esperar em um lugar mais alto, como uma calçada. Se estiver mais baixo, pode continuar andando”, afirma.

Leia também

Contudo, o piloto pede cautela do motorista. “Se estiver preso em um alagamento, tenha calma e espere um veículo maior passar para ter uma noção da situação. Não adianta querer passar e não saber se é seguro ou não”, ressalta. Caso tenha como sair, Rodrigo ensina o jeito certo de conduzir o carro nessas situações. “O motorista deve andar em primeira marcha, o mais devagar possível. Ir acelerando aos poucos para a água não entrar no motor pelo escapamento”, alerta.

Hudson ressalta que isso só deve ser feito com certeza de que a água não vai entrar no motor. Caso contrário, ele alerta para o calço hidráulico, problema que ocorre quando a água entra no motor e atinge os pistões, formando acúmulo de óleo nas câmaras de combustão. “O prejuízo causado é alto. Pode ter que trocar parte do motor. Em casos mais graves, tem que trocar tudo”, afirma.

Outro cuidado é não forçar o motor. Rodrigo Marcheschi diz que, caso o veículo apague, não há muito que fazer se não esperar.

Para as garagens subterrâneas, Rodrigo diz que o carro só deve ser retirado caso a água ainda não tenha entrado. “Se já estiver alagado, deixe onde está. Não tente ligar o veículo”, indica.

Hudson ressalta que os cuidados valem tanto para veículos altos, quanto baixos. “Carro não é feito para andar na água, mas os mais altos demoram mais para terem o motor atingido. Mesmo assim, se acontecer, o prejuízo é o mesmo”, explica.

DEPOIS

Se durante a chuva a água entrar na cabine do veículo, Hudson indica que, no dia seguinte, o motorista leve o carro para uma oficina de confiança. “O mecânico vai desmontar e secar. Talvez até trocar alguns carpetes”, afirma. Ele também pede para o motorista ficar atento a qualquer anormalidade no veículo e levar imediatamente para o conserto.

Ver comentários