Notícia

Legado para a educação e uma homenagem

Figura central de nosso respeito é um pesquisador odontólogo Eloy Borgo, pioneiro no setor dos implantes

A força e desenvolvimento da educação superior no Espírito Santo deve-se ao trabalho desempenhado por profissionais competentes, com visão de futuro. Nosso tema é fazer justiça a mestres importantes da educação no Estado, sem desprezar os demais, claro. Eis alguns nomes, como Afonso Bianco, na Medicina, e Thomaz Tommasi, Romualdo Gianordoli e Moacir Lofego, na Odontologia. Além deles, os pioneiros do ensino privado, que foram Aly da Silva e Antonio A. Theodoro. Por fim, não podemos deixar de citar o ex-reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Alaor de Queiroz Araujo.

A figura central de nosso respeito é um pesquisador odontólogo Eloy Borgo, também o pioneiro no setor dos implantes dentários, que dedicou durante sua vida à pesquisa. Ele faleceu em novembro de 1987 e defendeu, com absoluta razão, que “a implantodontia fosse colocada em bases científicas, sóbrias e honesta, o que vem sendo feita por uma plêiade de odontólogos, que procuram honrar e dignificar a profissão de cirurgião dentista que abraçaram”.

O querido colega Eloy Borgo deixou um legado para a geração de futuros colegas profissionais, que procuram honrar e dignificar os objetivos que abraçaram e abraçam diariamente na atividade, como afirmava: “tenham uma odontologia sempre cada vez melhor em benefício de toda a humanidade”.

Em um excelente artigo datado também de novembro de 1987, pouco depois da morte de Borgo, Uchôa de Mendonça exaltou: “morreu um apaixonado pela Odontologia, um devoto estudioso dos implantes orais”. E conclui Gutman: “perde a sociedade científica brasileira o seu mais dedicado servo, um estudioso e destemido, que dificilmente encontraremos substituto à altura”.

É bem verdade que Eloy participou e organizou inúmeros congressos, inclusive de nível internacional. Aos homenageados e suas famílias, nossa eterna gratidão. Aprendemos e ainda hoje vivemos seus legados. É como a prece de Santo Agostinho: “não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho. Você que aí ficou, segue em frente. A vida continua linda e bela”. O recado está dado!

*Os autores são, respectivamente, ex-reitor da Ufes e odontólogo

 

 

Ver comentários