Imóveis: Lançamentos 2018


5 mil novas unidades

Em 2018, lançamentos movimentam o mercado imobiliário

Divulgação

O ano de 2018 será um período de novidades para o mercado imobiliário. Pelo menos 5.025 unidades serão lançadas no decorrer deste ano. A maior parte delas está na Serra, mas cidades como Vitória, Vila Velha, Viana e Guarapari também receberão investimentos.

O vice-presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES), Moacyr Brotas Netto, explica que a expectativa é de que mais imóveis sejam lançados durante o ano.

“Nos últimos anos, pouquíssimos empreendimentos foram lançados. As unidades em estoque foram vendidas sem uma reposição compatível. A demanda por novos imóveis está grande, e as empresas estão viabilizando novos projetos para atendê-la”, analisa.

A Pesquisa de Demanda do Salão do Imóvel Ademi, que ocorreu no fim de outubro do ano passado, mostrou que a renda familiar dos capixabas que procuram imóveis para comprar subiu 15% em relação a 2016, saltando de R$ 7.139 para R$ 8.210. Para Moacyr, a razão deste aumento é a ausência de lançamentos em bairros nobres nos últimos anos.

“Este público ficou dependendo de imóveis de terceiros. Lançamentos na Capital, que tem o metro quadrado mais alto e padrão mais elevado, devem atender esta demanda”.

Ao todo, 994 das novas unidades previstas serão lançadas em Vitória, algumas nos bairros apontados como preferidos na Pesquisa de Demanda, como Jardim Camburi, Jardim da Penha e Praia do Canto. Além disso, Bento Ferreira, Santa Cecília e Barro Vermelho receberão novos apartamentos. Em Vila Velha, serão lançados 1.236 apartamentos de dois e três quartos, parte deles no bairro mais procurado no salão: Itaparica.

Serra será contemplada com mais de 2.200 novidades de diferentes padrões em bairros como Manguinhos, Jacaraípe, Jardim Tropical, Alphaville Jacuhy e Jardim Limoeiro. Ainda na Grande Vitória, Viana vai ganhar 130 casas de médio padrão e 344 apartamentos. Em Cariacica, serão 320 novos imóveis.

Mercado

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Espírito Santo (Sinduscon/ES), Paulo Baraona, o cenário já pode ser considerado positivo.

“Desde 2016 o número de unidades em construção gira em torno de 11 mil. O fato da quantidade ser mantida já é uma boa notícia por si só. Neste período, muitos empreendimentos ficaram prontos, e as empresas estão repondo os lançamentos. Isso significa que os estoques estão baixos, porque os imóveis estão sendo vendidos. A recuperação é gradativa, mas está ocorrendo”, analisa.

Para ele, a queda na taxa de juros contribui para a retomada do setor. “Com redução nas taxas de juros as pessoas têm mais acesso a crédito. Além disso, a sociedade está reagindo. Não é atoa que o setor de serviços apresenta crescimento”, diz.

Autores: Paula Gama| Carla Nascimento

Imóveis: Lançamentos 2018


Grande Vitória terá imóveis com preços a partir de R$ 145 mil

Construtoras anunciam casas e apartamentos que serão lançados ainda este ano

Divulgação

Entre as opções de lançamentos para 2018, estão empreendimentos de diferentes padrões na Grande Vitória. Os preços anunciados partem de R$ 145 mil.

Até o final do ano, a MRV investirá mais de R$ 350 milhões para o lançamento de 3.484 unidades habitacionais, sendo 1.884 unidades na Serra, 320 em Cariacica, 344 em Viana e outras 936 unidades em Vila Velha, com Valor Geral de Vendas (VGV) potencial de R$ 554 milhões.

A Argo Construtora vai lançar 180 unidades de dois quartos ao lado do Shopping Boulevard, em Itaparica, Vila Velha. A Barbosa Barros Construtora terá o Edifício Atlantis, no mesmo bairro, com 120 unidades de dois e três quartos por a partir de R$ 269 mil.

Na Capital, há muitas opções. No bairro Bento Ferreira, a Grasselli Engenharia vai investir no Palazzo Veneto, com apartamentos de dois quartos com suíte, e no Palazzo Milano, 50 unidades de três quartos. Quem também aposta na região é a Tercasa Engenharia, lançando o Solar Buganville, que terá apartamentos de dois quartos com suíte.

No primeiro semestre, a TMA Construtora vai iniciar as vendas no Henrique Torres, em Jardim da Penha, que terá 20 apartamentos de dois quartos com suíte a partir de R$ 399 mil. Em Barro Vermelho, a Mazzini Construtora e Incorporadora vai apresentar o Manhattan 265, que terá unidades de um e dois quartos. Em Jardim Camburi, o Inocoopes e as Cooperativas Habitacionais preveem um lançamento residencial com 364 unidades de dois quartos.

A M Santos Construtora planeja lançar três empreendimentos. Um deles ficará em Santa Cecília, Vitória, e terá 96 apartamentos com duas opções de plantas: quarto e sala ou dois quartos, a partir de R$ 190 mil. Outro investimento está sendo preparado para Viana, um condomínio com 130 casas de dois e três quartos a partir de R$ 240 mil. Em Manguinhos, na Serra, o lançamento será a segunda fase do Residencial Pontal dos Fachos, que tem casas de três e quatro quartos a partir de R$ 500 mil.

A Pinheiro de Sá Engenharia terá dois empreendimentos de diferentes padrões na Serra. O Nex Alphaville ficará na região de Alphaville Jacuhy e terá apartamentos de três e quatro quartos a partir de R$ 450 mil. O outro será o Vivenda Tropical Condomínio Clube, em Jardim Tropical, com apartamentos de dois quartos a partir de R$ 145 mil.

Um prédio de 55 unidades no centro de Guarapari também está entre as novidades. A Gotardo Construtora vai lançar o Vicenza no 1º semestre. Serão unidades de dois e três quartos entre 81 m2 e 98 m2.

Construtoras apostam em projetos

Várias empresas estão com projetos para 2018. O Grupo Proeng prevê quatro lançamentos: dois em Jardim da Penha, um na Praia do Canto e outro em Itaparica. A Morar Construtora planeja dois empreendimentos na Serra: o Vista do Horizonte, em Jardim Limoeiro, e o Vista da Reserva, na região de Jacaraípe. E a construtora projeta um condomínio de alto padrão na Praia de Meaípe, em Guarapari.

Na Serra, o Vista do Horizonte, que ficará localizado em Jardim Limoeiro, será um dos lançamentos da Morar
Na Serra, o Vista do Horizonte, que ficará localizado em Jardim Limoeiro, será um dos lançamentos da Morar
Foto: Divulgação

A Lorenge repaginou o Facilità Camburi, que tinha unidades de um quarto, e leva o empreendimento como lançamento em 2018.

Algumas opções

Cariacica

• MRV Engenharia: vai lançar 320 apartamentos dentro do Minha Casa Minha Vida

Guarapari

• Gotardo Construtora: vai lançar o Vicenza, prédio com unidades de dois e três quartos no centro da cidade

• Morar Construtora: vai lançar um condomínio de alto padrão em Meaípe

Serra

• M Santos: em Manguinhos, na Serra, vai lançar a segunda fase do Residencial Pontal dos Fachos, com casas de três e quatro quartos a partir de R$ 500 mil

• Morar Construtora: planeja dois empreendimentos na Serra: o Vista do Horizonte, em Jardim Limoeiro, e o Vista da Reserva, em Jacaraípe

• MRV Engenharia: vai investir em 1.884 novos apartamentos, entre eles, o Vila de Camburi, em Morada de Laranjeiras, que será lançado em fevereiro

• Pinheiro de Sá Engenharia: vai lançar 240 unidades de dois quartos a partir de R$ 145 mil dentro do Minha Casa Minha Vida em Jardim Tropical, no Jardim Tropical Condomínio Clube. E mais 108 apartamentos de três e quatro quartos a partir de R$ 450 mil no Nex Alphaville, em Alphaville Jacuhy

Viana

• M Santos: planeja um condomínio com 130 casas de dois e três quartos a partir de R$ 240 mil

• MRV Engenharia: vai lançar 344 apartamentos

Vila Velha

• Argo Construtora: vai lançar 180 unidades de dois quartos em Itaparica, Vila Velha

• Barbosa Barros Construtora: vai lançar o Edifício Atlantis, com 120 unidades de dois e três quartos, em Itaparica. Os preços partem de R$ 269 mil

• Grupo Proeng: vai lançar um residencial em Itaparica

• MRV Engenharia: planeja o lançamento de 936 unidades

Vitória

• Grasselli Engenharia: em Bento Ferreira, terá o Palazzo Veneto com unidades de dois quartos com suíte, e o Palazzo Milano, de três quartos

• Inocoopes: terá empreendimento com 364 unidades de dois quartos em Jardim Camburi

• M Santos Construtora: estuda empreendimento em Santa Cecília, com 96 apartamentos tipo quarto e sala e de dois quartos a partir de R$ 190 mil, ainda este ano

• Mazzini Construtora e Incorporadora: vai apresentar o Manhattan 265, que terá unidades de um e dois quartos

• Grupo Proeng: vai lançar dois empreendimentos, um em Jardim da Penha e outro na Praia do Canto

• Lorenge: vai relançar o Facilità Camburi. O prédio tem novidades: agora, apartamentos com 2 quartos e os de um quarto serão vendidos mobiliados e equipados

• Tercasa Engenharia: vai lançar o Solar Buganville com unidades de dois quartos com suíte em Bento Ferreira

• TMA Construtora: vai lançar o Henrique Torres em Jardim da Penha. O prédio terá unidades de dois quartos com suíte a partir de R$ 399 mil

Fonte: Construtoras consultadas

Autor: Paula Gama | [email protected]

Imóveis: Lançamentos 2018


Inspire-se nas unidades decoradas

Imóvel apresentado pela construtora ajuda o comprador a conhecer o empreendimento

Divulgação

A grande vantagem de comprar um imóvel na planta ou em construção é o preço. E para quem gosta de visualizar os mínimos detalhes, visitar o apartamento decorado é uma opção. Além de ajudar o comprador ter a noção do imóvel, ele também serve de inspiração na hora decorar a casa.

Os apartamentos decorados, em geral, são montados quando o primeiro pavimento do prédio está pronto, ou seja, entre seis meses e um ano do início da construção. O diretor de marketing da Lorenge, Erik Lorenzon, afirma que visitar esta unidade é vantajoso tanto para quem está interessado, quanto para quem já comprou o imóvel.

“É muito difícil ter uma real dimensão do imóvel olhando apenas a planta e a maquete do empreendimento. É só no decorado que o cliente vai entender como é o espaço interno. Além disso, estas unidades são projetadas por excelentes arquitetos, todos os espaços são aproveitados ao máximo e com muita inteligência. É uma ótima oportunidade para o comprador se inspirar e colocar em prática no seu futuro imóvel”, avalia Erik.

Quem quer aproveitar o preço especial de lançamento do empreendimento tem uma alternativa para conhecer um pouco melhor o imóvel: as perspectivas. “As imagens em 3D são bem fiéis ao que será entregue. Até a cor das paredes e a decoração são iguais, isso porque a perspectiva é baseada no projeto que o arquiteto montou” informa Minzer Isaac Tuma, diretor da TMA Construtora e Incorporadora.

De acordo com Minzer, quando o decorado é entregue, é hora de avaliar se o prometido foi posto em prática. “É importante verificar se o piso é o combinado, se há rebaixamento de gesso e se o material é de qualidade”, explica.

A unidade decorada do Vivenda Tropical, da Pinheiro de Sá Engenharia, será lançada em março
A unidade decorada do Vivenda Tropical, da Pinheiro de Sá Engenharia, será lançada em março
Foto: Divulgação

Unidades

As unidades decoradas dos lançamentos de2018começam a ser apresentadas na segunda metade do ano, dependendo da data de início das obras. O edifício Henrique Torres, da TMA Construtora e Incorporadora, que será lançado este mês, terá o decorado no início do segundo semestre. O empreendimento terá unidades de dois quartos entregues decoradas.

O Facilitá Camburi, da Lorenge, também tem uma proposta parecida. Serão unidades de um e dois quartos, as primeiras também serão entregues mobiliadas.

A unidade decorada do Vivenda Tropical, da Pinheiro de Sá Engenharia, será lançada em março, junto com residencial.

O Facilitá Camburi, da Lorenge, terá unidades de um e dois quartos, em Vitória, e apartamento decorado
O Facilitá Camburi, da Lorenge, terá unidades de um e dois quartos, em Vitória, e apartamento decorado
Foto: Divulgação

Algumas dicas

• Na maioria dos casos, o decorado é lançado quando o primeiro pavimento do prédio está pronto. Ou seja, de seis meses a um ano a partir do início das obras;

• Ao conhecer o decorado, o comprador terá real noção do tamanho do apartamento, já que é difícil se orientar apenas por plantas, maquetes e números;

• O apartamento decorado é projetado de forma inteligente para aproveitar o espaço ao máximo. Uma boa oportunidade para o futuro morador se inspirar;

• Essa é a hora de verificar se o que foi prometido será entregue. É importante verificar os materiais utilizados, para saber se está de acordo com o que consta do memorial descritivo do empreendimento;

• Quem quer aproveitar o preço de lançamento e comprar o imóvel antes de o decorado ficar pronto tem um trunfo: as perspectivas. Em geral, elas são bem fiéis ao que será apresentado no apartamento modelo;

 

Autor: Paula Gama | [email protected]

Imóveis: Lançamentos 2018


Indicadores sinalizam para crescimento

Inflação baixa e taxa de juros em queda influenciam no poder de compra do consumidor

Divulgação/Freepik

Maior poder de compra e melhores condições de crédito. Esse é cenário para onde apontam os indicadores econômicos estimados para este ano. Com a inflação em baixa e a taxa de juros básica em ritmo de queda, o consumidor deve aproveitar as oportunidades.

Segundo Boletim Focus, do Banco Central – que traz a média das expectativas de bancos, instituições financeiras, consultorias e empresas sobre os principais indicadores relacionados à economia brasileira –, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) deve ficar em 3,95%, enquanto a taxa de juros básica (Selic), que está em 7%, deve baixar para 6,75% ao final de 2018.

Fernando Galdi, professor da Fucape Business School e especialista em finanças, explica que esses números trazem vantagens para quem quer comprar e vender imóveis.

“A Selic influencia a taxa de juros do financiamento bancário. A taxa mais baixa propicia um crédito mais vantajoso, principalmente para quem não se enquadra nas exigências das linhas de financiamento subsidiadas pelo governo federal”, afirma.

Fernando esclarece que, com taxas mais atrativas, é natural que os bancos particulares promovam facilidades para conquistar clientes. “Agora, os bancos estão mais competitivos. Para se destacarem, podem oferecer vantagens no prazo, percentual financiável e exigências para liberar o crédito”, avalia o especialista.

Outro indicador que favorece o cenário é o IPCA, a inflação oficial. Fernando ressalta que com a inflação em baixa, a população consegue maior poder de compra.

Investimento

Segundo o economista Antônio Marcus Machado, esse é um momento oportuno para investir em imóveis. “São diversas variáveis reunidas e convidativas. Quem pode investir na aquisição de um empreendimento deve aproveitar a oportunidade”.

Ele ressalta que, mesmo diante do cenário positivo do setor, é importante levar em consideração outros fatores como a empregabilidade. “O interessado em comprar um imóvel precisa avaliar sua estabilidade financeira. Por exemplo, se ele consegue recolocação rápida no mercado, caso venha perder o emprego, para dar continuidade ao pagamento das prestações”.

O economista acrescenta ainda que é fundamental escolher um imóvel que atenda ao seu padrão de vida. “Se a pessoa é solteira não precisa investir em um apartamento com quatro quartos”, completa.

 Autores: Paula Gama | Tatiana Ribeiro

Imóveis: Lançamentos 2018


O que os empresários esperam para o setor

Depois de um período de instabilidade econômica, mercado começa a se recuperar

Divulgação

Para empresários ligados ao mercado imobiliário, a quantidade de lançamentos reforça a expectativa de que este ano seja marcado pela retomada econômica no setor.

Na análise do diretor-presidente da VTO Polos Empresariais, Alexandre Schubert, além de despertar o interesse do consumidor comum, o cenário é favorável para investidores. “Quando as taxas de juros reduzem, as aplicações no mercado financeiro não são tão interessantes. Então, sobra o mercado imobiliário e aplicações na bolsa de valores, só que esse último não oferece a mesma segurança”.

O empresário Jorge W. Torobay, que faz parte do grupo de investidores do Life Residence Jacuhy, empreendimento planejado para idosos, reforça as vantagens de investir em imóveis. “A economia não está mais caindo, nem patinando, como vimos nos últimos anos. Pelo contrário, temos uma melhora gradual. É a hora de comprar imóveis antes que os preços aumentem. Além disso, quem investe em propriedades tem garantia nos momentos mais adversos, pois não vê o seu dinheiro desvalorizar”.

Construção civil

O diretor-presidente da Galwan Construtora, José Luís Galvêas Loureiro, também está otimista. “O mercado da construção civil, como um todo, deve crescer muito. E nós estamos preparados, com obras para lançar. Em 2017, também viabilizamos dois condomínios grandes, na Mata da Praia e em Itaparica, que estão com mais de 60% das unidades comercializadas. A taxa de juros no patamar que está ajuda não só quem quer comprar para morar, mas também quem quer investir em um ativo seguro e que promete ser o mais rentável do mercado”, avalia.

A MRV Engenharia está otimista em relação às perspectivas do setor de construção no Espírito Santo, já que o ano anterior também foi positivo para a empresa. As vendas da MRV no Espírito Santo alcançaram a marca de R$ 115,2 milhões nos primeiros nove meses do ano. Este ano, vai investir R$ 350 milhões em lançamentos.

“O momento atual está propício para a compra de terrenos, e a empresa conta com umland bank (banco de terra)muito robusto em diversas cidades do Estado. Além disso, o mercado de imóveis econômicos ainda é muito carente e o funding dos clientes da MRV é o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), com financiamento das faixas 1,5, 2 e 3 do programa habitacional do governo federal, o Minha Casa Minha Vida, cujas regras mantêm condições excepcionais para o financiamento do primeiro imóvel, com juros abaixo da inflação”, avalia o gestor executivo de vendas da MRV,CristianoMatos.

O diretor comercial da CBL Desenvolvimento Urbano, Marcos Batista Machado, também já percebeu uma melhora no mercado no fim de 2017. “As vendas estão aumentando, a procura por loteamentos já foi bem maior no ano passado, em relação aos anos anteriores. Para 2018, a meta é lançar mais para aproveitar o momento”.

Segundo o presidente da Morar Construtora, Rodrigo Almeida, a empresa está aproveitando a estabilidade econômica dos últimos seis meses. “Isso foi muito positivo para a Morar, que lançou um novo empreendimento ainda no fim de 2017, o Vista do Bosque. Para 2018, estamos otimistas, a redução dos juros indica maior atratividade e estamos preparados para esta retomada. Temos três lançamentos previstos. Também continuamos a investir em empreendimentos da linha do Minha Casa Minha Vida, com financiamento acessível. Estamos prontos para movimentar o setor imobiliário da Grande Vitória e enxergamos muitas oportunidades”.

Turismo

A Gotardo Construtora, que investe em Guarapari, acredita que a procura de imóveis para veraneio deve aumentar. “Nossas expectativas são as melhores possíveis, principalmente com o lançamento de novos empreendimentos em Guarapari, região propícia para o turismo. Observamos um maior aquecimento do mercado imobiliário. O final de 2017 foi bem melhor do que o ano anterior”, diz Danielli Gotardo, sócia-proprietária da Gotardo Construtora.

 

 Autor: Paula Gama | [email protected]

Imóveis: Lançamentos 2018


Apê novo e chaves na mão ainda em 2018

Imóveis com entrega prevista para este ano são ideais para quem tem pressa para mudar

Enseada Jacaraípe tem entrega prevista ainda no primeiro semestre
Enseada Jacaraípe tem entrega prevista ainda no primeiro semestre
Divulgação/De martin Construtora

Comprar um imóvel em fase de lançamento é um bom negócio para quem pode esperar o empreendimento ficar pronto, já que as unidades são vendidas com preço especial. Por outro lado, para quem vive de aluguel e tem pressa em se mudar, o ideal é encontrar apartamentos com entrega mais próxima.

O diretor comercial da Argo Construtora, Thiago Abreu, explica que um grande número de pessoas prefere esta modalidade de compra. “Quem mora de aluguel, por exemplo, tem pressa em se mudar, porque não pode ficar com duas despesas. A pessoa percebe que é mais interessante pagar por um imóvel pronto, então, sai à procura de uma unidade finalizada ou prestes a ser entregue”.

As unidades em reta final de construção, segundo o supervisor comercial da Galwan Construtora e Incorporadora, Júnior Pereira, são a oportunidade desse público adquirir a casa própria com todas as vantagens de um imóvel novo. “Não é normal um empreendimento ser entregue com muitos apartamentos disponíveis. Quem encontra, tem a chance de comprar um imóvel novo, com garantia, design e área de lazer modernos e que pode decorar de acordo com o próprio gosto”.

Dois empreendimentos da Argo Construtora ficam prontos em março. O Nápoles tem apartamentos de dois quartos a partir de R$ 259 mil, e o Parador possui unidades de até quatro suítes com valor inicial de R$ 749 mil. Ambos ficam em Itaparica, Vila Velha.

No primeiro semestre do ano, a Morar Construtora vai entregar o Vista do Limoeiro, que fica em Jardim Limoeiro, na Serra. São apartamentos de dois quartos a partir de R$ 138.320. O Enseada Jacaraípe, da De Martin Construtora, também está programado para os primeiros seis meses do ano. São apartamentos de dois quartos com preço inicial de R$ 145 mil em Jacaraípe, Serra.

O Residencial Aquarela, da Impacto Engenharia, fica em Jardim Camburi, Vitória, e será entregue em junho. Os apartamentos de dois e três quartos partem de R$ 380 mil. Para o mesmo mês, está programada a quarta etapa do Recanto de Camburi, do Inocoopes e da Cooperativa Habitacional Vila das Graças, de dois quartos com suíte a partir de R$ 276.682.

Este ano, a Galwan Construtora vai entregar dois prédios. O Juan Fernandes fica pronto em julho, com apartamentos de três quartos com suíte a partir de R$ 1.069.254,88, em Barro Vermelho, Vitória. Em agosto, é a vez do London Ville Residence, que fica em Itaparica, Vila Velha. As unidades têm três quartos com suíte e partem do valor de

R$ 476.217,09.

Em dezembro, o San Pietro, da Metron Engenharia, também fica pronto. O empreendimento tem imóveis de um e dois quartos na Praia do Suá, em Vitória, com preço a partir de R$ 240.531.

Autor: Paula Gama | [email protected]

Imóveis: Lançamentos 2018


Estado vai ganhar 12 novos loteamentos ao longo do ano

Entre as vantagens de comprar um terreno estão o preço atrativo e a alta rentabilidade

Divulgação

As loteadoras capixabas não vão ficar paradas em 2018: pelo menos 12 empreendimentos serão lançados ao longo do ano no Estado, além de outros cinco fora do Espírito Santo.

Para o diretor comercial da CBL Desenvolvimento Urbano, Marcos Batista Machado, a oferta de lançamentos é muito positiva para o consumidor. “Adquirindo no lançamento, antes de começarem as obras, o comprador paga muito menos em relação a um terreno em loteamento pronto para construir ou já com casas. A rentabilidade fica entre 30% e 40%, o que não se consegue com outros tipos de imóveis”, garante.

A CBL vai apresentar três empreendimentos de lotes durante o ano em Aracruz, Cachoeiro de Itapemirim e Nova Venécia. Os terrenos serão residenciais e terão metragem a partir de 200 m2. A Cristal Empreendimentos também está focada em novos investimentos. Vai lançar a terceira fase do Morada do Lago, loteamento que fica em Linhares. Serão lotes a partir de 200 m2. Também haverá um condomínio de lotes de alto padrão em Domingos Martins, ainda sem nome.

O ano também será de novidades para a Soma Urbanismo. A loteadora planeja lançar mais dois empreendimentos nas cidades de Aracruz e Colatina. Já a Vaz Desenvolvimento Urbano estuda um projeto de loteamento com padrão econômico em Vila Velha e outro em Itapemirim.

Para o presidente da Soma, Gustavo Barbeitos, a expectativa é que surjam ainda mais empreendimentos horizontais nos próximos meses. “Nosso Estado ainda possui um grande potencial de expansão imobiliária e o momento é mais do que propício para a compra de lotes e imóveis, pois a tendência é de uma maior valorização desses bens nos próximos anos”.

A Imobiliária Universal vai apresentar três novos loteamentos mistos, com terrenos residenciais e comerciais. O Capuba Ville ficará em Jacaraípe, Serra, e terá 331 lotes. No mesmo município, será lançado o Vista do Mestre com 501 lotes no bairro Campinho da Serra 2. O Vista do Moxuara terá 159 lotes em Porto Belo, Cariacica.

Capixabas lançam fora do Estado

 

 

Se no Espírito Santo a oferta de lotes está em ritmo de crescimento, em outros Estados também há oportunidades para quem busca este tipo de imóvel. Uma prova disso é que as empresas capixabas estão ampliando a participação em outras regiões.

Em 2017, a VTO Polos Empresariais investiu pesado na região de Cariacica, com o lançamento do Parque Leste-Oeste, que tem lotes empresariais, comerciais e residenciais. Agora, a empresa vai se expandir para fora do Estado.

“Vamos lançar em Pindamonhangaba, no Estado de São Paulo, em Cuiabá e na Região Metropolitana de Recife. Assim como nossos empreendimentos no Estado, estes polos ficarão em áreas estratégicas para a abertura de empresas”, informa Alexandre Schubert, diretor-presidente da VTO.

A Vaz Desenvolvimento também vai expandir sua atuação e prevê lançamentos de empreendimentos horizontais em Rondônia e Mato Grosso.

Oportunidades para comprar

CBL Desenvolvimento Urbano

Vai lançar três empreendimentos de lotes residenciais a partir de 200 m2 em Aracruz, Cachoeiro e Nova Venécia

Cristal Empreendimentos

Vai lançar a terceira fase do Morada do Lago, com terrenos residenciais a partir de 200 m2 em Linhares. Também vai investir em um condomínio de lotes de alto padrão em Domingos Martins

 

 

Imobiliária Universal

Capuba Ville, em Jacaraípe, Serra, loteamento com 331 lotes. Também na Serra será criado o Vista do Mestre, com 501 lotes, em Campinho da Serra 2. Em Porto Belo, Cariacica, está previsto o Vista do Moxuara com 159 lotes

Soma Urbanismo

Planeja lançar dois empreendimentos de lotes residenciais nas cidades de Aracruz e Colatina

Vaz Desenvolvimento

Estuda o lançamento de um loteamento com padrão econômico em Vila Velha e outro em Itapemirim. Além disso, prevê empreendimentos horizontais em Rondônia e Mato Grosso

VTO Polos Empresariais

Em 2018, a empresa capixaba vai expandir o seu portfólio para Pindamonhangaba, em São Paulo, além de Cuiabá, Mato Grosso e Região Metropolitana do Recife (foto), em Pernambuco, com a implantação de polos industriais e empresariais

Vto em Recife
Vto em Recife
Foto: Divulgação

Autor: Tatiana Ribeiro

 

Imóveis: Lançamentos 2018


Empreendimentos que serão entregues

Residencial Aquarela, Impacto Engenharia
Residencial Aquarela, Impacto Engenharia
Divulgação

Cariacica

Lorenge - Bella Augusta Residence

Unidades de 3 e 4 quartos com suíte a partir de R$ 380 mil, localizado no bairro Alto Dona Augusta. Previsão de entrega no segundo semestre deste ano

Serra

De Martin Construtora - Enseada Jacaraípe

Unidades de dois quartos em Jacaraípe a partir de R$ 145 mil. Entrega prevista para o primeiro semestre

Morar Construtora - Vista do Limoeiro

Unidades de dois quartos em Jardim Limoeiro, a partir de

R$ 138.320. Entrega prevista para o primeiro semestre

Vila Velha

Argo Construtora - Nápoles Residencial

Unidades de dois quartos a partir de

R$ 259 mil em Itaparica, Vila Velha. Previsão de entrega para março

Argo Construtora - Parador Residencial

Unidades de quatro quartos com até quatro suítes a partir de R$ 749 mil em Itaparica, Vila Velha. Previsão de entrega para março

Galwan Construtora - London Ville Residence

Unidades de três quartos com suíte

a partir de R$ 476.217,09 em Itaparica, Vila Velha. Previsão de entrega

para agosto

Vitória

Impacto Engenharia - Residencial Aquarela

Unidades de dois e três quartos, em Jardim Camburi, a partir de

R$ 380 mil. Previsão de entrega para junho

Galwan Construtora - Juan Fernandes

Unidades de três quartos com suíte em Barro Vermelho, a partir de 1.069.254,88. Previsão de entrega para julho

Inocoopes e Cooperativa Habitacional Vila das Garças

Quarta etapa do Recanto de Camburi

Unidades de dois quartos com suíte a partir de R$ 276.682, em Jardim Camburi. Entrega prevista para junho

Recanto Camburi - Inocoopes
Recanto Camburi - Inocoopes
Foto: Divulgação

Metron Engenharia - San Pietro

Unidades de um e dois quartos a partir de R$ 240.531, na Praia do Suá. Entrega prevista para dezembro

San Pietro - Metron
San Pietro - Metron
Foto: Divulgação

Autor: Paula Gama | [email protected]

 

Imóveis: Lançamentos 2018


Dez dicas para fazer um bom negócio

Verificar infraestrutura do bairro e conhecer a empresa responsável pela obra é importante

Edson Chagas/Arquivo

Quem pretende comprar um imóvel este ano deve ficar atento a alguns fatores para fazer um bom negócio. Especialistas listam dez dicas fundamentais nesta hora.

A localização do empreendimento é o primeiro quesito a ser observado na hora da compra.

“A localização deve ser um fator decisivo na escolha de um empreendimento. Independentemente se a pessoa tem o interesse de comprar, alugar ou vender posteriormente, precisa observar se o condomínio oferece, na sua região, comércio, escola, serviços, entre outros atrativos. Isso porque as pessoas priorizam cada vez mais a qualidade de vida e a mobilidade urbana”, diz o consultor imobiliário José Luiz Kfuri.

Kfuri frisou que na hora de escolher uma unidade residencial é preciso pesquisar, não agir por impulso e saber se o comprador tem condições de arcar com o financiamento a longo prazo. “O ideal é que o interessado comprometa apenas 30% da sua renda com moradia, pois ele precisa cumprir com outras obrigações, como taxa de condomínio, alimentação, roupas, transporte e família”, lembra.

O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Espírito Santo (Ademi-ES), Sandro Carlesso, também reforça a necessidade de ter um planejamento antes de buscar a casa própria.

O ideal é ter uma poupança para dar como entrada no início do negócio. “Dando um valor como sinal, o comprador vai amenizar as parcelas do financiamento e até conseguir negociar um melhor desconto na compra do imóvel. Quem não tem condições de dar o sinal, deve juntar o dinheiro e comprar em outro momento”, explica.

Ele ressalta ainda que é essencial se cercar de informações sobre a empresa responsável pelo empreendimento. “O cliente deve fazer buscas sobre a empresa ou incorporadora antes de fechar o negócio. Saber se ela entrega no prazo combinado, conhecer a qualidade de suas obras e certificar a documentação, como o registro de incorporação do imóvel”, afirma.

A cabeleireira Maria Manske, 53 anos, pretende comprar um apartamento na Capital ainda neste ano. Ela está atenta às orientações dos especialistas para fazer o melhor negócio. “São informações valiosas que nos ajudam a tomar a melhor decisão, pois, muitas vezes, até pela correria e empolgação, não estamos atentos a alguns detalhes”, afirma Maria.

Para acertar

1 - Observe se o bairro tem comércio, escola, shopping, serviços, entre outros atrativos

2 - Visite o local onde o imóvel será construído

3 - Verifique a posição da unidade, ventilação e condições de umidade

4 - Gaste no máximo 30% da renda com moradia

5 - Junte o valor necessário para a entrada

6 - Pesquise sobre a empresa ou a incorporadora. Saiba se ela entrega as obras no prazo e a qualidade do acabamento

7 - Consulte a documentação do empreendimento, como o registro de incorporação

8 - Observe se oferece opções de lazer como churrasqueira e playground

9 - Se for adquirir um financiamento, compare as taxas de juros dos bancos e verifique o Custo Efetivo Total do negócio

10 - Não compre por impulso. Não adianta não ter condições de arcar com o financiamento

Autor: Tatiana Ribeiro

 

Imóveis: Lançamentos 2018


Prédio entregue? É hora de montar um condomínio

Construtora responsável pela obra e futuros moradores participam do processo

Divulgaçã/Freepik

A entrega das chaves do imóvel é o momento mais esperado por quem comprou uma unidade em construção. Junto com a alegria, vem uma responsabilidade: instituir um condomínio. E antes mesmo de se mudarem, os proprietários já participam da primeira assembleia.

A primeira reunião de condomínio é convocada pela construtora responsável pelo empreendimento. “Nesta assembleia, será feita a eleição do síndico e dos membros do conselho administrativo. Também é neste encontro que os moradores autorizam a formalização da associação condominial”, informa Cyro Bach Monteiro, presidente do Sindicato Patronal de Condomínios e Administradoras (Sipces).

A ata desta reunião será registrada em cartório. A partir de então, o condomínio pode ser registrado na Receita Federal, e se torna uma instituição legal. “O condomínio não paga Imposto de Renda, no entanto, é responsável pela contratação de empresas e serviços. Sem CNPJ, emitido pela Receita Federal, é impossível fazer esses trâmites legalmente”, alerta Cyro.

Administração

Na primeira reunião, também será definido um valor de taxa condominial provisória, indicado pela administradora de condomínio. “A construtora, geralmente, indica uma administradora para assessorar o condomínio. Neste primeiro momento, a empresa apresenta uma previsão orçamentária. Com o decorrer no tempo, o valor será reajustado para mais ou menos, de acordo com a necessidade”, explica o diretor da Marco Condominial, Marco Aurélio Nery.

Nas reuniões seguintes, já com o síndico em posse do cargo, serão combinadas as contratações dos serviços mais urgentes, como limpeza, segurança e manutenções.

Instalar equipamentos de segurança é um dos primeiros serviços do condomínio
Instalar equipamentos de segurança é um dos primeiros serviços do condomínio
Foto: Divulgação/Freepik

“É necessário contratar funcionários devidamente treinados para suas funções, comprar câmeras e alarmes de segurança, mobília das áreas comuns e utensílios imprescindíveis, como carrinho de compras, escada e material de limpeza”, enfatiza.

Nery afirma que existe um documento deixado pela construtora que auxilia, e muito, essa gestão: o manual do proprietário. “Nesse documento, a construtora determina o prazo de manutenção preventiva de todos os elementos do condomínio. Eles devem ser seguidos à risca. Para isso, será necessário contratar empresas que prestam os serviços descritos”.

Os documentos mais importantes de um condomínio

Ata da primeira assembleia é registrada em cartório
Ata da primeira assembleia é registrada em cartório
Foto: Divulgação/Freepik

Todo condomínio tem dois documentos imprescindíveis para a sua organização: a convenção e o regimento interno. Ambos são aprovados pelos moradores logo nas primeiras reuniões e, se desrespeitados, geram punições.

A convenção do condomínio descreve os diretos e os deveres dos moradores, além das penalidades em caso de descumprimento. “Trata-se de um documento legal, que precisa da aprovação de dois terços dos moradores para ser alterado”, informa Cyro Bach Monteiro, presidente do Sindicato Patronal de Condomínios e Administradoras (Sipces).

O regimento interno aborda as normas comportamentais do condomínio e costuma ser alterado sempre que necessário. “A recomendação é não unir esses documentos em um só, já que o regimento costuma ser alterado com frequência. Desta forma, é necessário apenas de metade mais um dos condôminos para aprovar a mudança”, diz Cyro.

Marco Aurélio Nery, diretor da Marco Condominial, explica que, para começar, utiliza-se um documento padrão, que descreve apenas as regras básicas no condomínio.

“Com o decorrer do tempo, os moradores vão conhecendo melhor a suas necessidades e solicitando mudanças. Há coisas importantes para um condomínio que não são para outros. Tudo depende do perfil dos moradores”, finaliza.

Passo a passo

• Primeiro encontro

A primeira assembleia do condomínio é convocada pela construtora responsável pelo empreendimento. Todos os proprietários devem comparecer

• Eleições

Nesta reunião, elege-se o síndico e os membros do conselho. Também é interessante fechar um contrato com uma administradora de condomínio

• Convenção

A convenção do condomínio, com todos os diretos e deveres dos moradores e as punições em caso de descumprimento das normas, também é estabelecida neste dia. O documento é registrado em cartório e só pode ser alterado se dois terços dos condôminos concordarem

• Regimento Interno

O regimento interno trata das regras de convivência dentro do condomínio. Ele pode ser alterado a qualquer momento, desde que a maioria aceite

• Taxa Condominial

Na primeira reunião é acordada uma taxa condominial provisória, indicada pela administradora ou construtora. Após alguns meses, ela passa a ser reajustada de acordo com os gastos do condomínio

• Ata

A ata da primeira reunião deve ser registrada em cartório para, em seguida, a administração apresentar à Receita Federal para a criação de um CNPJ. A partir de então, será possível contratar

pessoas e serviços

• Compras

É necessário comprar o “enxoval” do condomínio. Ou seja, utensílios indispensáveis como carrinho de compras, móveis das áreas comuns, ferramentas de limpeza e manutenção, segurança, entre outros

• Manual

O manual do proprietário entregue pela construtora vai ajudar a administração do condomínio. O material tem dicas de como cuidar das áreas comuns e os prazos de manutenção

 

Autor: Paula Gama | [email protected]

Imóveis: Lançamentos 2018


Sofisticação metalizada para sua casa

Peças em tons dourado, prateado, cobre e rosé dão um toque moderno aos ambientes

Abacaxi decorativo, Cecília Dale
Abacaxi decorativo, Cecília Dale
Divulgação

Quem está sempre atento às novidades de arquitetura e decoração já deve ter percebido que os metalizados estão em alta. As peças em dourado, prateado, cobre e rosé levam sofisticação ao ambiente e combinam com várias cores.

A designer de interiores Márcia Abreu revela que o segredo é pensar na decoração como um todo, combinando as peças metalizadas com a base que já existe no ambiente.

“As cores do ambiente vão dizer se você pode ousar mais ou menos nas peças metalizadas. Se a base for neutra, vale a pena apostar em peças grandes e de destaque. Se já houver muita cor, os novos adereços devem ser melhores. É bom prestar atenção nas estampas, metalizados não combinam com desenhos grandes e coloridos, fica over”, alerta.

Segundo Márcia, se as cores do espaço forem neutras, é interessante mesclar os tons de metalizados. “Os grandes joalheiros do mundo fazem esta mistura. Escolhem prata e dourado para uma mesma joia, por exemplo. O mix fica sofisticado e mostra personalidade”.

Há duas formas de usar os metalizados no décor: em revestimentos ou peças decorativas, de acordo com a designer de interiores Patrícia Davel. “Quando se usa no revestimento, ele deve ser o centro das atenções, estará em uma parte da casa e pronto. Quando são adornos, vale espalhar diversas peças no ambiente”, opina.

Mensagem

A profissional afirma que os metalizados podem passar sofisticação para a composição ou dar a sensação de modernidade. “Os metais com brilho são refinados. Por outro lado, se a peça for fosca, passa a ideia de um ambiente mais contemporâneo, com uma pegada industrial”, diz Patrícia.

Para não haver erros na hora de escolher a mensagem que quer passar com o metalizado na decoração, a designer dá uma dica: observe as formas. “Os móveis e objetos com formas mais arredondadas são clássicos. Os de linhas retas e formas geométricas são modernos, têm design futurista”, esclarece.

O tom metalizado que gera mais polêmica é o cobre. “Ele deve ser utilizado com cuidado. Quando combinado com madeira, a decoração fica rústica. Se essa não for a intenção, melhor combinar com cores claras e leves”, indica Márcia Abreu.

Autor: Paula Gama | pl[email protected]

Imóveis: Lançamentos 2018


Closet

Divulgação

Cozinha

Funcional e com design elegante

A cozinha é o local onde são preparados pratos saborosos para a família e amigos. Entre as opções para facilitar o dia a dia e deixar o ambiente mais bonito está a nova linha de produtos portáteis da Eletrolux.

Foto: Divulgação

Entre eles, o tostador Expressionist TOP50, que faz contagem regressiva da tostagem, assim se pode checar o tempo restante e saber exatamente quando o pão ficará pronto. O produto tem sete níveis de tostagem e conta com as funções descongelar, reaquecer e cancelar. O liquidificador Expressionist BLP50 é outra novidade, que reduz a formação de bolhas de ar,garantindo texturas aveludadas.

A marca lança ainda o mixer Expressionist IBP50, a jarra elétrica EKP50 e a cafeteira Expressionist CMP60, para quem aprecia café gourmet. Com função programável, permite preparar o café com até 24 horas de antecedência .

Revestimento

O charme do cimento em todos os ambientes

Foto: Divulgação

O revestimento cimentício é uma opção para quem busca versatilidade no ambiente. Com alta durabilidade, pode ser utilizado em áreas externas, internas e até lugares corporativos. Há opções, inclusive, com efeito 3D.

Este da foto é o modelo Floratto da marca Nina Martinelli. Ele tem dimensões de 27,5 x 27,5 centímetros e está disponível em quatro cores diferentes na loja Artmento.

Exclusivo

Poltrona assinada

Para quem curte produtos exclusivos, assinados por designers, a dica é a poltrona Lenzi, de Zanini de Zanine.

A peça possui cores sóbrias e está disponível na loja Stampa, em Vitória. O produto traz um olhar contemporâneo da antiga cadeira portuguesa em palhinha, muito encontrada no Brasil.

Foto: Divulgação

A poltrona foi pensada para ambientes modernos e elegantes. Apesar de ser um produto leve, é feito em material que confere resistência.

Em LED

Iluminação que valoriza

Foto: Divulgação

Os projetos de iluminação são capazes de renovar o décor. A Lorenzetti aposta em produtos com a tecnologia LED para projetos residenciais e comerciais.

Dentre as opções, estão os refletores LED para áreas externas, que servem para destacar árvores, plantas e esculturas, fazendo toda a diferença na decoração.