Notícia

Bala atingiu celular, diz mãe de segurança ferido por PM em boate

Uma jovem de 19 anos morreu e um segurança ficou ferido ao serem atingidos por disparos feitos por um policial militar

Policial militar matou jovem de 19 anos e feriu segurança em uma boate na Serra
Policial militar matou jovem de 19 anos e feriu segurança em uma boate na Serra
Foto: Internauta/Gazeta Online

A mãe do segurança baleado por um policial militar ao tentar entrar em uma boate, na Serra, contou à reportagem do Gazeta Online, na manhã deste sábado (18), que um dos tiros que atingiram o filho teria acertado o peito dele, se não fosse por um celular guardado no bolso da camisa. 

"Entrei em estado de choque. Cheguei aqui (no hospital) só que até agora não obtive informação dele pelos médicos. Ele está no centro cirúrgico. Eu senti que foi livramento que Deus deu a ele. Ele estava com o celular no bolso e a bala alojou, ficou no celular dele. A bala pegou no celular e outra na comanda", disse a mãe do segurança. Veja trechos da entrevista. 

ESTADO DE SAÚDE DO FILHO

"Eu não sei nada, não sei como está porque até agora eu não vi médico, não vi ninguém. Só tive a informação que ele entrou consciente porque ele tomou tiro na barriga e na perna ou na bunda, eu não sei. O menino que tava falando."

> Amigo desmaiou após ver jovem morta, diz funcionária de boate

CORAÇÃO DE MÃE

"Tô aqui angustiada, só Deus sabe, arrasada. Eu despertei 3h em ponto, com o coração acelerado, ajoelhei, porque eu sou evangélica, e isso foi um livramento de Deus que ele teve."

ORAÇÃO

"Comecei a orar, pedindo a Deus para guardar a minha família do que tivesse que acontecer."

BALA NO CELULAR

"Ele estava com o celular no bolso e a bala alojou, ficou no celular dele que tá la no serviço. Eu não sei, não vi o celular. Eu só estou com os documentos dele aqui."

ENTENDA O CASO

Uma jovem de 19 anos morreu e um segurança ficou ferido ao serem atingidos por disparos feitos por um policial militar, na porta de uma boate, às 4h16, em Parque Residencial Laranjeiras, na Serra.

Segundo informações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o policial militar, identificado como Patrick Ramos Guariz, 26 anos, saiu da boate após pagar a conta, mas resolveu voltar para o interior do estabelecimento e foi impedido pelo segurança.

Enquanto Patrick discutia para retornar à boate, a jovem Thalita do Carmo Pereira, de 19 anos, se aproximou do segurança para entregar a comanda que havia pagado para também sair da boate. Nesse momento, Patrick abriu fogo contra o segurança.

Com informações de Glacieri Carraretto

Ver comentários