Notícia

Policial militar mata cliente de boate e fere segurança

Ao ser impedido de entrar no local, o Patrick Ramos atirou no segurança e matou uma jovem de 19 anos

PM mata jovem e fere segurança em boate
PM mata jovem e fere segurança em boate
Foto: Internauta Gazeta Online

Uma jovem de 19 anos morreu e um segurança ficou ferido ao serem atingidos por disparos feitos por um policial militar, na porta de uma boate, às 4h16, em Parque Residencial Laranjeiras, na Serra.

Segundo informações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o PM, identificado como Patrick Ramos Guariz, 26 anos, saiu da boate após pagar a conta, mas resolveu voltar para o interior do estabelecimento e foi impedido pelo segurança.

> Amigo desmaiou após ver jovem morta, diz funcionária de boate

Enquanto o Patrick discutia para retornar à boate, a jovem Thalita do Carmo Pereira, de 19 anos, se aproximou do segurança para entregar a comanda que havia pagado para também sair da boate. Nesse momento, o militar abriu fogo contra o segurança.

Thalita Carmo, jovem morta por PM em boate na Serra
Thalita Carmo, jovem morta por PM em boate na Serra
Foto: Reprodução/Facebook

Thalita e Patrick não se conheciam. Ela foi atingida por um tiro no rosto e morreu no local. O segurança foi ferido por quatro disparos e socorrido para o Hospital Jayme dos Santos, na Serra.

> Bala atingiu celular, diz mãe de segurança ferido por PM em boate

Após os disparos, Patrick Ramos fugiu do local. A perícia da Polícia Civil e investigadores estiveram no local e fizeram os primeiros levantamentos sobre o caso.

POLÍCIA MILITAR

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que está sendo verificada a suposta participação de um policial militar na ocorrência. "As investigações estão a cargo da Polícia Civil e sendo acompanhadas pela Corregedoria da Polícia Militar", concluiu. 

POLÍCIA CIVIL

Também por meio de nota, a Polícia Civil respondeu que a ocorrência foi registrada no plantão do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). "O caso seguirá sob investigação da Polícia Civil. Outras informações, ainda, não serão repassadas para não atrapalhar o trabalho da polícia". 

O OUTRO LADO

A reportagem tenta contato com o advogado de Patrick Ramos

 

 

Ver comentários