Notícia

Guaçuí: presidente da Câmara cancela contratos após prisões

Laudelino Alves Graciano Neto (PP) que era presidente da Casa e o vereador Valmir Santiago (PTB) foram presos em duas operações do Ministério Público do Espírito Santo (MPES)

Servidores são presos acusados de integrar organização criminosa em Guaçuí
Servidores são presos acusados de integrar organização criminosa em Guaçuí
Foto: Divulgação

Depois do presidente da Câmara de Vereadores de Guaçuí, Laudelino Alves Graciano Neto (PP), ser preso durante a Operação Ouro Velho, do Ministério Público do Espírito Santo (MPES), na última quinta-feira (16), o vice, Ângelo Moreira da Silva (PSDB) assumiu a casa e cancelou contratos. Outro membro da Casa também foi detido também a pedido do MPES.

Segundo o presidente interino, Ângelo Moreira da Silva, a medida de suspensão e cancelamento de seis contratos foi tomada após análise com outros vereadores. “São contratos que beneficiam pouco a sociedade, como a publicidade em jornal, que ocorrer por meio da Amunes, leitura braile e locutor”, exemplificou o tucano.

Além do presidente Laudelino Alves Graciano, preso durante operação que investiga suposta organização criminosa que atuava para fraudar licitações em diversas áreas públicas do município, foi preso o vereador Valmir Santiago (PTB), na Operação Carro de Boi, que investiga esquema irregular de contratos de prestação de serviços de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e ao setor de hemodiálise da Santa Casa de Guaçuí. Santiago é ex-provedor da unidade.

Ver comentários